Covid-19: República Checa encerra fronteiras a partir de segunda-feira

O governo da República Checa anunciou o encerramento das fronteiras a partir de segunda-feira, quer aos estrangeiros que queiram entrar, quer aos cidadãos nacionais que pretendam sair.

Covid-19: República Checa encerra fronteiras a partir de segunda-feira

Covid-19: República Checa encerra fronteiras a partir de segunda-feira

O governo da República Checa anunciou o encerramento das fronteiras a partir de segunda-feira, quer aos estrangeiros que queiram entrar, quer aos cidadãos nacionais que pretendam sair.

O governo da República Checa anunciou hoje o encerramento total das fronteiras a partir de segunda-feira, quer aos estrangeiros que queiram entrar, quer aos cidadãos nacionais que pretendam sair do país, como medida contra a pandemia de coronavirus.

“A partir de domingo à noite vamos interditar a todos os estrangeiros a entrada na República Checa e ao mesmo tempo a todos os cidadãos checos que pretendam sair do território”, disse hoje aos jornalistas o ministro do Interior, Jan Hamacek.

Até ao momento a República Checa registou 117 casos de pessoas contaminadas pelo novo coronavirus (Covid-19).

LEIA DEPOIS Macau sem coronavírus. O que Portugal deve seguir para combater o surto

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.900 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde (OMS) a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 131 mil pessoas, com casos registados em mais de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 112 casos confirmados.

A China registou nas últimas 24 horas oito novos casos de infeção pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), o número mais baixo desde que iniciou a contagem diária, em janeiro.

Até à meia-noite de quinta-feira (16:00 horas de quarta-feira, em Lisboa), o número de mortos na China continental, que exclui Macau e Hong Kong, subiu para 3.176, após terem sido contabilizadas mais sete vítimas fatais. No total, o país soma 80.813 infetados. A Comissão Nacional de Saúde informou que até à data 64.111 pessoas receberam alta após terem superado a doença.

Face ao avanço da pandemia, vários países têm adotado medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena inicialmente decretado pela China na zona do surto.

A Itália é o caso mais grave depois da China, com mais de 15.000 infetados e pelo menos 1.016 mortos, o que levou o Governo a decretar a quarentena em todo o país.

 

 

LEIA MAIS Coronavírus: Macau anuncia datas do regresso às aulas, mas com máscaras

Impala Instagram


RELACIONADOS