Coronavírus: SNS 24 recebeu 192 pedidos de esclarecimentos em cinco dias

O serviço SNS 24 recebeu, entre 25 e 29 de janeiro, quase 200 contatos de pessoas à procura de informações ou para tirar dúvidas relativas ao novo coronavírus.

Coronavírus: SNS 24 recebeu 192 pedidos de esclarecimentos em cinco dias

Coronavírus: SNS 24 recebeu 192 pedidos de esclarecimentos em cinco dias

O serviço SNS 24 recebeu, entre 25 e 29 de janeiro, quase 200 contatos de pessoas à procura de informações ou para tirar dúvidas relativas ao novo coronavírus.

O serviço SNS 24 recebeu, entre 25 e 29 de janeiro, quase 200 contatos de pessoas à procura de informações ou para tirar dúvidas relativas ao novo coronavírus. Neste período, o Centro de Contacto do Serviço Nacional de Saúde (SNS24) recebeu mais de 28 mil contactos, adiantam os dados dos Serviços Partilhado do Ministério da Saúde (SPMS).

“Deste total, a procura de informações e/ou esclarecimento de dúvidas relativas ao novo coronavírus tem vindo a aumentar nos últimos dias, tendo-se registado 192 contactos informativos no canal telefónico”, sublinham os SPMS numa resposta enviada à Lusa.

LEIA DEPOIS
Coronavírus | China acusada de esconder número de mortos (Vídeo)

O SNS 24 e a Direção-Geral da Saúde (DGS) capacitaram o serviço de triagem do SNS 24

O Centro de Contacto do Serviço Nacional de Saúde disponibiliza aos cidadãos vários serviços, entre os quais a triagem, aconselhamento e encaminhamento e o serviço informativo clínico e de Saúde Pública. “Relativamente ao serviço de triagem verificamos que o volume de chamadas dos últimos dias enquadra-se dentro das previsões para esta altura do ano, uma vez que ainda se mantém a época de frio/gripe”, refere o SPMS, e, “à semelhança do ano anterior, ocorre um aumento de contactos no período de gripe”.

Em conjunto, o SNS 24 e a Direção-Geral da Saúde (DGS) capacitaram o serviço de triagem do SNS 24 tendo em conta o novo coronavírus (2019-nCoV) detetado na China. Segundo as indicações da DGS, o SNS 24 ativou os mecanismos de resposta definidos para o efeito (ativação da Linha de Apoio ao Médico).

A DGS apela a que as unidades de saúde afixem, em locais visíveis, cartazes que alertem os utentes para a necessidade de informar o segurança ou administrativo no caso de terem viajado nos últimos 14 dias de Wuhan, da província de Hubei ou de áreas afetadas pelo novo coronavírus e terem sintomas de infeção respiratória.

Os profissionais de saúde devem aplicar aos casos suspeitos as medidas de controlo de infeção a partir logo do momento da admissão do caso na unidade de saúde. Na orientação emitida, a DGS indica que os profissionais da triagem ou na inscrição dos utentes devem ser orientados e treinados para a deteção precoce de um possível caso suspeito.

Casos suspeitos devem ficar internados, em hospitais de referência, num quarto individual de isolamento

Os casos suspeitos devem ficar internados, em hospitais de referência, num quarto individual de isolamento com pressão negativa e casa de banho privativa. Os profissionais de saúde devem ainda usar equipamento de proteção individual, como bata, máscara, luvas e proteção ocular.

Perante um caso suspeito, os profissionais devem contactar a linha de apoio médico da DGS. Se a suspeita for validada, o caso para a ser “suspeito em investigação” e o doente tem de permanecer na sala de isolamento definida e sem contacto com outras pessoas que não sejam profissionais habilitados.

Caberá ao INEM transportar depois o caso para um hospital de referência. A China elevou hoje para 213 mortos e quase 10 mil infetados o balanço do surto de pneumonia provocado pelo novo coronavírus (2019-nCoV) detetado no final do ano em Wuhan, uma cidade com 11 milhões de habitantes.

Situação de emergência

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há mais de 50 casos de infeção confirmados em 22 outros países – Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha, Itália, Reino Unido, Austrália, Finlândia, Emirados Árabes Unidos, Camboja, Filipinas, Índia, Suécia e Rússia. Números são assustadores.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou na quinta-feira uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional (PHEIC, na sigla inglesa) por causa do surto do novo coronavírus na China.

LEIA MAIS
Meteorologia: Previsão do tempo para sábado, 1 de fevereiro
Euribor | Prestação da casa sobe em fevereiro para taxas a seis e três meses

Impala Instagram


RELACIONADOS