Coronavírus. Mulher que obrigou a parar comboio Sud Express não está infetada

A mulher que na noite de domingo, 1 de março, obrigou o comboio internacional Sud Express a parar duas horas na zona do Entroncamento não está infetada com o novo coronavírus.

Coronavírus. Mulher que obrigou a parar comboio Sud Express não está infetada

Coronavírus. Mulher que obrigou a parar comboio Sud Express não está infetada

A mulher que na noite de domingo, 1 de março, obrigou o comboio internacional Sud Express a parar duas horas na zona do Entroncamento não está infetada com o novo coronavírus.

A mulher que na noite de domingo, 1 de março, obrigou o comboio internacional Sud Express a parar duas horas na zona do Entroncamento não está infetada com o novo coronavírus. A notícia é avançada pela TVI, após a passageira, de 21 anos, ter feito análises no Hospital Curry Cabral, em Lisboa.

Um comboio internacional Sud Express esteve parado por volta das 23:30 de domingo na estação do Entroncamento, distrito de Santarém, após uma passageira ter alegado estar com sintomas de infeção pelo Covid-19. A crculação foi retomada duas horas depois.

LEIA DEPOIS
Atualização | Ministra da Saúde confirma dois casos de coronavírus em Portugal

Tratou-se de “uma passageira proveniente da China que se dirigiu ao revisor com suspeita de estar infetada”, disse à Lusa fonte da PSP de Santarém, adiantando que recebeu o alerta cerca das 23:35. No local esteve uma equipa especializada do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Segundo o Expresso, que cita a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, a passageira em questão foi retirada do comboio para ser transferida para o hospital e fazer testes de despiste, e todos os passageiros vão ser sinalizados.

Hospital da Guarda ativado como “unidade de segunda linha”

O Hospital Sousa Martins, na Guarda, foi ativado como “unidade de segunda linha” para a contenção da infeção pelo Covid-19, anunciou hoje a Unidade Local de Saúde (ULS), entidade que gere o equipamento hospitalar. “Até à data apenas estavam ativados como hospitais de referência para estes casos o Curry Cabral e o Dona Estefânia, em Lisboa, e o São João, no Porto. Além destas três unidades, passam agora a estar disponíveis para o estudo de casos suspeitos e tratamento dos infetados, os hospitais de Santa Maria e São José, em Lisboa, Santo António, no Porto, o Hospital Pediátrico de Coimbra e o Hospital Sousa Martins da ULS da Guarda”, lê-se na nota.

Texto: Carla S. Rodrigues com Lusa

LEIA MAIS
Sem-abrigo viola jovem de 18 anos em casa devoluta em Albufeira
Serra da Estrela com estradas encerradas devido à queda de neve

Impala Instagram


RELACIONADOS