Conceito de Economia Digital revoluciona o setor e conquista portugueses

Com a democratização do acesso à tecnologia, a noção de conectividade foi revolucionada e a ligação entre as mais variadas áreas de atividade tornou-se inegavelmente digital. Devido à veloz evolução deste âmbito, novos conceitos surgem quase que diariamente, mas há alguns que se destacam mais. Entre eles, está o de Economia Digital, um fenómeno recente […]

Conceito de Economia Digital revoluciona o setor e conquista portugueses

Conceito de Economia Digital revoluciona o setor e conquista portugueses

Com a democratização do acesso à tecnologia, a noção de conectividade foi revolucionada e a ligação entre as mais variadas áreas de atividade tornou-se inegavelmente digital. Devido à veloz evolução deste âmbito, novos conceitos surgem quase que diariamente, mas há alguns que se destacam mais. Entre eles, está o de Economia Digital, um fenómeno recente […]

Com a democratização do acesso à tecnologia, a noção de conectividade foi revolucionada e a ligação entre as mais variadas áreas de atividade tornou-se inegavelmente digital. Devido à veloz evolução deste âmbito, novos conceitos surgem quase que diariamente, mas há alguns que se destacam mais. Entre eles, está o de Economia Digital, um fenómeno recente que, aliando um dos setores mais tradicionais ao virtual, rapidamente ganhou destaque e está a conquistar empresas e investidores portugueses.

Na verdade, a habitual ideia de homens engravatados e de bancos tradicionais tornou-se obsoleta e, mais do que nunca, o domínio económico destaca-se por ser um dos mais inovadores e que está na vanguarda tecnológica. Assim, com acesso facilitado e soluções transformadoras, torna-se crucial entender quais são as potencialidades deste tipo de economia.

Foto: Unsplash

 

O que é a Economia Digital?

Baseando-se na premissa de que a economia pode integrar-se em sistemas totalmente tecnológicos, o conceito de Economia Digital centraliza no virtual todos os seus processos, desde a gestão até ao ato da compra, afastando-se da noção de que é necessário um ambiente físico para desenvolver o seu negócio ou até fazer uma transação.

Explorado pela primeira vez no Japão, por volta dos anos 90, rapidamente este conceito se popularizou pelos quatro cantos do globo. Dada a sua simplicidade, muitas vezes nem nos apercebemos dele no nosso quotidiano, mas quando enviamos dinheiro para um amigo através de uma aplicação ou carregamos o saldo do nosso telemóvel pelo computador, estamos utilizando a Economia Digital.

 

Um setor em ascensão

Quando falamos em Economia Digital falamos do presente, mas acima de tudo do futuro. Por isso mesmo, são inúmeras as novidades e tendências que se relacionam estreitamente com este conceito. Entre elas, destaca-se o mercado cambial, mais conhecido como Forex, um espaço financeiro que opera através de pares de divisas. Caracterizada pela sua liquidez e descentralização, esta forma de investimento tornou-se popular dada a sua acessibilidade no ambiente digital, funcionando através de plataformas desenvolvidas especialmente para o propósito.

O economista Przemysław Kwiecień veio reforçar a notoriedade deste mercado, apontando o Forex como uma das maiores tendências económicas para 2021, com destaque para as moedas europeias e a australiana.

Por sua vez, o pagamento por autenticação facial também tem conquistado o seu espaço neste domínio, sendo a Apple uma das grandes propulsoras desta tendência graças à ferramenta de Face ID no Apple Pay.

 

Foto: Unsplash

 

Já conhecido de muitos, mas não podendo faltar nesta lista, encontra-se também o segmento do E-commerce, um conceito que assenta na compra e venda de um produto ou serviço por meio de canais digitais. Assumindo-se como uma referência da Economia Digital, de acordo com números divulgados pelo Eurostat, 55% dos portugueses fizeram compras online só em 2020.

Desde a Inteligência Artificial até a Internet das Coisas, inúmeros são os conceitos integrados na Economia Digital que conquistam os portugueses. Não foi ao acaso que, no 30º Congresso da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC), Pedro Siza Vieira associou a transformação digital ao conceito de evolução e de desenvolvimento superior. Nesse sentido, inúmeras são as empresas que veem na Economia Digital uma oportunidade de alargar os seus horizontes, como é o caso da Mastercard, que pretende levar para este tipo de economia 50 milhões de pequenas e médias empresas.

De facto, a transversalidade do digital dominou todos os setores, e o económico não podia ser exceção. Com a Economia Digital, torna-se mais prático agilizar negócios e aplicar o seu dinheiro.

Impala Instagram


RELACIONADOS