Chanceler alemã visita hoje Angola de olhos postos na cooperação

A chanceler alemã, Angela Merkel, inicia hoje uma visita a Angola, onde irá encontrar-se com o Presidente angolano, João Lourenço, participar no 8.º Fórum Económico Angola-Alemanha e assinar “instrumentos jurídicos”.

Chanceler alemã visita hoje Angola de olhos postos na cooperação

Chanceler alemã visita hoje Angola de olhos postos na cooperação

A chanceler alemã, Angela Merkel, inicia hoje uma visita a Angola, onde irá encontrar-se com o Presidente angolano, João Lourenço, participar no 8.º Fórum Económico Angola-Alemanha e assinar “instrumentos jurídicos”.

Durante a manhã de hoje, em Luanda, a líder alemã, que visita o país depois da África do Sul, terá um encontro com João Lourenço.

À tarde, Angela Merkel e João Lourenço vão presidir à abertura do Fórum Económico Angola-Alemanha.

Prevista está também a visita da chanceler alemã ao Museu de Antropologia, que iniciou um programa de cooperação com o Goethe-Institut Angola e a Fundação do Património Cultural da Prússia.

Deslocar-se-á ainda a uma empresa alemã na capital angolana e vai encontrar-se com angolanos que estudaram na Alemanha.

Trata-se da segunda visita da chanceler Angela Merkel a Angola, tendo a primeira ocorrido em 2011, ocasião em que foi acordada uma parceria alargada entre os dois países.

João Lourenço visitou a Alemanha em agosto de 2018 e voltou a encontrar-se com a chanceler Merkel em Nova Iorque, no mês de setembro.

Na quinta-feira, o ministro das Relações Exteriores angolano, Manuel Augusto, referiu que a Alemanha é já um “parceiro tradicional” de Angola, onde tem instaladas um “conjunto de empresas que têm um impacto direto” na economia angolana e nas condições de vida da população.

O chefe da diplomacia angolana apontou que o seu país pretende reforçar a cooperação com a Alemanha nas energias renováveis, mobilidade urbana ou saúde.

Para o ministro, a visita de Merkel é “mais um passo na consolidação das relações bilaterais entre os dois países”.

Manuel Augusto espera que do encontro entre a chanceler e o Presidente angolano “esta relação possa sair mais reforçada” e se materialize na execução de projetos concretos, adiantando que estão identificados os “setores em que a Alemanha pode ser útil”.

O ministro angolano referiu também que o que Angola precisa da Alemanha “é o que precisa de todos os países desenvolvidos”, nomeadamente maior participação na área das infraestruturas, sobretudo a nível da produção de energia elétrica, e terá também “muito a beneficiar” no domínio da indústria, mobilidade urbana, saúde ou energias renováveis.

No âmbito da visita de Angela Merkel, está prevista a assinatura instrumentos jurídicos, sobre os quais Manuel Augusto não avançou detalhes.

Na quinta-feira, o deputado dos Verdes no parlamento alemão, Ottmar von Holtz, defendeu que a luta contra a corrupção deve ser o tema central da visita de Merkel a Luanda.

“Especialmente depois do recente escândalo do ‘Luanda Leaks’, mas também de uma forma geral, a corrupção é um dos maiores desafios e entraves a um desenvolvimento sustentável e justo. É por isso que Angela Merkel deve colocar a corrupção no centro das suas conversas com o Presidente João Lourenço”, defendeu à agência Lusa Ottmar von Holtz.

Ottmar von Holtz apresentou, um ano depois da eleição de João Lourenço, uma moção parlamentar com perguntas ao Governo alemão sobre o estado das relações entre os dois países e as mudanças no terreno.

JYO (RCR/JYD) // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS