Cerca de 3.300 bebés nascem hoje em Moçambique

Cerca de 3.300 bebés vão nascer no primeiro dia do ano em Moçambique, o que representa 1% do número de crianças que nascem hoje em todo o mundo, indica a Unicef.

Cerca de 3.300 bebés nascem hoje em Moçambique

Cerca de 3.300 bebés nascem hoje em Moçambique

Cerca de 3.300 bebés vão nascer no primeiro dia do ano em Moçambique, o que representa 1% do número de crianças que nascem hoje em todo o mundo, indica a Unicef.

Maputo, 01 jan 2020 (Lusa) — Cerca de 3.300 bebés vão nascer no primeiro dia do ano em Moçambique, o que representa 1% do número de crianças que nascem hoje em todo o mundo, indica o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

“Essas crianças moçambicanas recém-nascidas representarão cerca de 1% dos aproximadamente 392.078 bebés que nascerão [hoje em todo mundo]”, refere um comunicado da Unicef distribuído à imprensa.

Moçambique reduziu a mortalidade infantil em dois terços nas últimas duas décadas, segundo as Nações Unidas, que destacam o país como dos que mais progressos alcançaram na África Subsaariana.

Segundo as novas estatísticas, divulgadas pelas Nações Unidas em setembro de 2019, entre 1990 e 2018, Moçambique registou uma taxa média anual de redução da mortalidade em crianças com menos de 5 anos de 4,3 por cento.

Em 1990, a probabilidade de uma criança morrer antes dos 05 anos era de 241 crianças em cada 1.000 em Moçambique, valor que passou para 79 por 1.000 em 2018.

No primeiro dia de 2020 deverão nascer em todo o mundo 392.078 bebés, prevendo-se que a Índia, a China e a Nigéria liderem o número de nascimentos, de acordo com uma estimativa hoje divulgada pela Unicef.

Em comunicado, a Unicef estima que mais de metade destes nascimentos aconteçam em oito países, com a Índia (67.385), a China (46.299) e a Nigéria (26.039) a figurarem nos três primeiros lugares da lista.

Em Portugal, a Unicef estima que nasçam no dia 1 de janeiro de 2020 um total de 213 bebés.

Segundo a Unicef, em 2018 um total de 2,5 milhões de bebés recém-nascidos morreram no seu primeiro mês de vida e um terço desses no primeiro dia.

A maioria morre de causas evitáveis como a prematuridade, complicações durante o parto e infecções como a sépsis. Para além disso, mais de 2,5 milhões de bebés são nados-mortos todos os anos, refere a organização.

EYAC (CFF/MAD) // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS