Catarina Martins lamenta decisão do PS de não continuar com ‘geringonça’

A coordenadora do BE lamentou hoje a decisão do PS de não continuar com o modelo da ‘geringonça’, considerando que os socialistas estão “a recusar um modelo que deu provas de resistência.

Catarina Martins lamenta decisão do PS de não continuar com 'geringonça'

Catarina Martins lamenta decisão do PS de não continuar com ‘geringonça’

A coordenadora do BE lamentou hoje a decisão do PS de não continuar com o modelo da ‘geringonça’, considerando que os socialistas estão “a recusar um modelo que deu provas de resistência.

Lisboa, 11 out 2019 (Lusa) – A coordenadora do BE, Catarina Martins, lamentou hoje a decisão do PS de não continuar com o modelo da ‘geringonça’, considerando que os socialistas estão “a recusar um modelo que deu provas de resistência face a turbulências políticas”.

“Ao decidir pôr um ponto final à existência do modelo de acordo político que ficou conhecido como ‘geringonça’, o Partido Socialista recusa um modelo que deu provas de resistência face a turbulências políticas, que impediu recuos e assegurou um percurso estável de recuperação do país e de respeito pelos direitos e rendimentos”, afirmou Catarina Martins na sede do BE, em Lisboa.

A líder bloquista deixou claro que “os acordos da ‘geringonça’ foram uma garantia de estabilidade na vida das pessoas”, lamentando “a decisão do PS de não continuar esse caminho”.

Catarina Martins falava aos jornalistas na sede do BE, em Lisboa, numa primeira reação do partido depois de o secretário-geral do PS, António Costa, ter afirmado na Comissão Política Nacional de quinta-feira que não faria qualquer acordo escrito de legislatura com outras forças parlamentares, mas destacando que a metodologia de trabalho adotada nos últimos quatro anos vai manter-se com os parceiros.

A posição assumida por António Costa foi transmitida à agência Lusa por vários dirigentes socialistas que ouviram a intervenção de fundo do líder do PS na reunião do órgão socialista.

Na quarta-feira, no final da ronda de negociações que fez por diferentes partidos, António Costa afirmou que socialistas e o Bloco de Esquerda iriam ter, nos próximos dias, reuniões para avaliar se haveria condições de convergência que permitam um acordo de legislatura entre as duas forças políticas.

JF (PMF) // ACL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS