Camboja celebra 40 anos do fim do regime Khmer Vermelho

Sob o olhar do primeiro-ministro, Hun Sen, os cambojanos assistiram hoje a uma missa comemorativa do fim do regime maoista Khmer Vermelho, liderado pelo tirano Pol Pot.

Camboja celebra 40 anos do fim do regime Khmer Vermelho

Camboja celebra 40 anos do fim do regime Khmer Vermelho

Sob o olhar do primeiro-ministro, Hun Sen, os cambojanos assistiram hoje a uma missa comemorativa do fim do regime maoista Khmer Vermelho, liderado pelo tirano Pol Pot.

Dezenas de milhares de cambojanos juntaram-se hoje em Phnom Penh, capital do Camboja, para celebrar o quadragésimo aniversário da queda do regime Khmer Vermelho.

“Hoje celebramos este momento para reavivar a memória inefável dos crimes mais odiosos do regime de Pol Pot”, disse Hun Sen, ele próprio um ex-Khmer Vermelho.

O regime de Pol Pot caiu em 07 de janeiro de 1979, resultado de uma ofensiva vietnamita envolvendo Hun Sen, que desertou do regime e se refugiou no Vietname.

Hun Sen, que está no poder há mais de 30 anos, tem-se afirmado como referência política e servido como a única defesa contra o regresso à guerra civil.

O primeiro-ministro tem comparado a atual oposição ao seu governo ao regime Khmer Vermelho, o que justificou que tivesse proibido o principal partido opositor, o Partido Nacional de Resgate do Camboja (CNRP), bem como a prisão do seu líder, Kem Sokha.

Hun Sen voltou a prometer, hoje, que impedirá “as ações de políticos extremistas da oposição e estrangeiros que estão por trás deles”.

LEIA MAIS: A fogueira mediática de Trump: sexo, dinheiro e gravações

Kem Sokha, está atualmente em prisão domiciliar, aguardando julgamento, acusado de querer fomentar uma revolução com o apoio de Washington.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS