Blackjack faz 582 anos em 2022: como se joga, de onde veio e para onde vai?

O Blackjack, também conhecido como 21 em Portugal e no Brasil, é hoje jogado em praticamente todos os países do mundo.

Blackjack faz 582 anos em 2022: como se joga, de onde veio e para onde vai?

Blackjack faz 582 anos em 2022: como se joga, de onde veio e para onde vai?

O Blackjack, também conhecido como 21 em Portugal e no Brasil, é hoje jogado em praticamente todos os países do mundo.

O número não é redondo, mas continua a ser assinalável: o Blackjack surgiu há quase 600 anos e continua a ser um dos jogos de casino mais populares do mundo. A sua origem pode ser traçada (pelo menos) até ao ano 1440, e o jogo passou por várias transformações ao longo dos seus 582 anos de existência. Também conhecido como 21 em Portugal e no Brasil, o Blackjack é hoje jogado em praticamente todos os países do mundo.

As regras do Blackjack

No Blackjack, o Ás é a carta mais valiosa e equivale a 10 pontos.

O Blackjack envolve um a oito baralhos de cartas e é tradicionalmente jogado contra o dealer. O objetivo do jogo passa por obter mais pontos do que o adversário, mas sem ultrapassar os 21 pontos. As cartas são distribuídas conforme a vontade dos jogadores e estão associadas a diferentes pontuações. A carta mais elevada é o Ás e vale 10 pontos. Na maioria das variantes do jogo, o dealer só pode pedir um máximo de cinco cartas e/ou atingir um máximo de 17 pontos.
Um jogo clássico de casino, o Blackjack é hoje maioritariamente jogado em formato online. Disponível nos principais casinos digitais portugueses, o blackjack online conta com algumas regras, vantagens, e variedades específicas.

De onde veio o Blackjack?

A história do Blackjack pode ser traçada até ao ano 1440, mas é provável que o jogo seja ainda mais antigo. O primeiro documento que faz referência ao 21 trata-se de um sermão assinado pelo monge italiano Bernardino de Siena. Lido quatro anos antes da sua morte, em 1444, o sermão analisa o papel dos jogos de sorte e azar na sociedade italiana da época à luz das diretrizes da Igreja Católica.
Apreciado pelo Papa e tido como um crente extremamente humilde, Bernardino de Siena ficou famoso pela sua teoria económica e por ter pregado em Roma por 80 dias consecutivos, mas nunca foi um grande apologista do Blackjack.
Mais apreciador dos jogos de sorte, o misterioso escritor britânico Ed. S. Taylor editou no século XIX um compêndio bastante informativo conhecido como “The History of Playing Cards.” Foi então que se ficou a conhecer um pouco mais sobre a história do Blackjack, à lente de um historiador moderno. No seu livro, Taylor destaca um precursor do Blackjack conhecido como “Trentuno,” que terá surgido em Itália em 1526. O termo “Trentuno” é uma referência ao número 31, levando muitos historiadores a crer que as primeiras versões do Blackjack permitiam um máximo de 31 pontos ao invés de 21.

A internacionalização do Blackjack

Antes da invenção de grandes tecnologias de comunicação como o telefone ou a Internet, os costumes dos povos demoravam um pouco mais a viajar de país para país. O “Trentuno” nasceu na Itália do século XVI, mas demorou vários anos a espalhar-se pela Europa. No início do século XVII, contudo, já se tratava de um jogo de sorte e azar muito popular, especialmente na França, na Inglaterra, e em Espanha.
A Espanha, de resto, é um dos países europeus onde mais se jogava Blackjack. Um precursor do jogo é mesmo referido em “Don Quixote,” a obra seminal de Miguel Cervantes que se encontra entre as mais importantes da literatura espanhola.

Do “Trentuno” ao 21

Foi também por altura do início do século XVII que o “Trentuno” (ou 31) deu lugar ao 21, o jogo que hoje é conhecido como Blackjack. Não existem documentos oficiais que comprovem este ponto, mas os historiadores acreditam que o número máximo de pontos foi reduzido de 31 para 21 para que as partidas de Blackjack fossem mais rápidas. A celeridade continua a ser uma das principais caraterísticas do jogo, principalmente se compararmos a duração de uma partida de Blackjack com a de outras diversões de casino como o póquer.

O futuro do Blackjack

Tecnologias como a realidade virtual podem ajudar a expandir o realismo do Blackjack online.

Atualmente, é impossível separar o setor dos jogos de sorte e azar dos casinos online que imperam um pouco por todo o mundo. Tal como acontecerá com quase todos os jogos de casino, é presumível que o futuro do Blackjack passe pelo mundo digital. Segundo o site de avaliação estatística Grand View Research, o mercado global do gambling online deverá atingir uma valorização de 63,53 biliões de dólares até ao final de 2022.
O destino auspicioso dos casinos online parece ainda mais provável se tivermos em consideração as inovações que têm sido postas em prática no setor. Em casinos online de referência já é possível, por exemplo, jogar Blackjack em tempo real contra um dealer de carne e osso—tudo remotamente e num ambiente imersivo que simula a atmosfera de um casino físico.
Outras inovações incluem tecnologias de vanguarda como a realidade aumentada ou a realidade virtual, que podem ajudar a expandir ainda mais o realismo do Blackjack online. A inteligência artificial também pode ter um papel importante no caso de modalidades alternativas de Blackjack que incluam a presença de um dealer artificial.

Impala Instagram


RELACIONADOS