VMER “constantemente inativa” preocupa presidente da Câmara da Guarda

O presidente da Câmara Municipal da Guarda mostrou-se hoje preocupado com as paragens no funcionamento da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) local e disse esperar que o problema seja resolvido “de uma vez por todas”.

VMER

VMER “constantemente inativa” preocupa presidente da Câmara da Guarda

O presidente da Câmara Municipal da Guarda mostrou-se hoje preocupado com as paragens no funcionamento da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) local e disse esperar que o problema seja resolvido “de uma vez por todas”.

“É claro que nos preocupa a VMER constantemente inativa, porque não há profissionais de saúde disponíveis para poder fazer as horas na VMER. Sabemos que está a ser feito esse trabalho. Esperemos que rapidamente isso se resolva e de uma vez por todas, porque falhas pontuais todos admitimos, constantes é que jamais”, afirmou hoje Sérgio Costa (Movimento pela Guarda).

O autarca falava na sessão da Assembleia Municipal, onde o tema da saúde foi abordado pelo deputado Tiago Gomes (Movimento Pela Guarda) que referiu, entre outros assuntos, que no mês de maio a VMER da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda, segundo dados do INEM (Instituto Nacional de Emergência Médica), “esteve 220 horas inoperacional”.

O deputado lembrou as recentes notícias “alarmantes” sobre a saúde, relacionadas com a carência de profissionais em vários serviços, VMER inoperacionais (como foi o caso das da Guarda e da Covilhã) e serviços de urgência encerrados “por esse país fora”.

“Tudo isto põe em causa o serviço prestado”, disse o deputado, que apelou ao presidente da autarquia da cidade mais alta do país que exija que “os maiores problemas, desde a falta de profissionais até às condições [físicas], sejam resolvidos”.

Na resposta, o presidente do município disse que vê a situação relatada “com preocupação” e referiu que procura manter o diálogo com a administração da ULS que gere o Hospital Sousa Martins.

“Sempre dissemos, sempre o dizemos e sempre o diremos. Enquanto nós acreditarmos nesta administração, tudo faremos para a defender. No dia em que nós consideramos que esta administração não está a fazer um bom trabalho, nós pediremos a sua substituição. É com esta frontalidade, com este pragmatismo, que nós iremos agir durante o nosso mandato, porque foi desta forma que na nossa campanha eleitoral o dissemos à administração do hospital. Foi olhos nos olhos, não mandámos recado por ninguém”, declarou.

Sérgio Costa lembrou, ainda, na sua intervenção, que assinou recentemente um protocolo para “alavancar aquilo que poderá ser, no futuro, o Centro de Investigação Nacional do Envelhecimento”.

A autarquia disponibilizou uma verba para ajudar a ULS a fazer o desenho do projeto para recuperar o antigo pavilhão Rainha Dona Amélia que acolherá o referido centro.

Disse que também tem dialogado com a administração da ULS para a reabertura da totalidade das extensões de saúde do concelho.

“Há três ou quatro [extensões de saúde] que ainda não estão abertas. Já foi prometido várias vezes. A ver se a promessa, de uma vez por todas, chega à realidade. É isso que nós ambicionamos e no mais curto espaço de tempo, porque vem aí o verão”, afirmou.

No período da ordem do dia, a Assembleia Municipal da Guarda, presidida por José Relva (Movimento Pela Guarda), aprovou, entre outros pontos, os procedimentos concursais para provimento de cargos de direção intermédia de 2.º grau, a abertura de procedimento de contratação de serviço de fornecimento de energia elétrica e a proposta de desvinculação do município da ADRUSE – Associação de Desenvolvimento Rural da Serra da Estrela.

 

ASR // JEF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS