Vírus: Quase 500 casos suspeitos deram negativo em Macau nas últimas semanas

Quase meio milhar de casos suspeitos do novocoronavírus chinês deram negativo em Macau nas últimas duas semanas, mantendo-se em nove o atual número de infetados, informaram hoje as autoridades, em conferência de imprensa.

Vírus: Quase 500 casos suspeitos deram negativo em Macau nas últimas semanas

Vírus: Quase 500 casos suspeitos deram negativo em Macau nas últimas semanas

Quase meio milhar de casos suspeitos do novocoronavírus chinês deram negativo em Macau nas últimas duas semanas, mantendo-se em nove o atual número de infetados, informaram hoje as autoridades, em conferência de imprensa.

Dos 498 casos suspeitos, foram descartados 482. Dez foram confirmados, tendo um dos pacientes recebido alta. Seis pessoas que realizaram testes continuam a aguardar os resultados dos respetivos testes, indicou um dos responsáveis do Centro Hospitalar Conde de São Januário, Lei Wai Seng.

Só nas últimas 24 horas foram realizados 120 testes, acrescentou.

O médico apelou ainda à população que, se sentir alguns dos sintomas associados ao novo coronavírus, deve deslocar-se imediatamente aos serviços de saúde e não deve automedicar-se.

Lei Wai Seng lembrou que, apesar de os casinos terem fechado portas, os trabalhadores das salas de jogo, das lojas dos ‘resorts’, motoristas e taxistas tiveram contacto com clientes, anteriormente, pelo que, aos mínimos sinais suspeitos devem recorrer às urgências. “Não aguardem em casa, porque isso pode comprometer a cura”, sublinhou.

Uma das primeiras medidas do Governo de Macau para reduzir o risco de contágio foi enviar milhares de funcionários públicos para casa, onde continuam a trabalhar, mas à distância.

Macau fechou também os casinos e anunciou o encerramento de espaços culturais e desportivos, parques, jardins e espaços de lazer, bem como de todo o tipo de negócios, o que praticamente está a paralisar a economia.

As autoridades deram ainda conta, hoje, do fecho de mais dois hotéis, o Hotel Legend Palace e o Rocks Hotel, depois de outros cinco terem encerrado devido ao surto: Hotel Sofitel, The Four Seasons Hotel, Grand Harbour Hotel, St. Regis Macao e o Conrad Macao.

Uma medida temporária que a chefe do Departamento de Licenciamento e Inspeção da Direção dos Serviços de Turismo, Inês Chan, explicou que serve “para prevenir o risco de transmissão da epidemia”.

Já o chefe do Centro de Prevenção e Controlo de Doenças dos Serviços de Saúde, Lam Chong, adiantou que atualmente existem 89 cidadãos de Macau na província de Hubei, onde começou o surto e existem várias cidades sob quarentena.

A China elevou para 722 mortos e mais de 34 mil infetados o balanço do surto de pneumonia provocado por um novo coronavírus (2019-nCoV) detetado em dezembro passado, em Wuhan, capital da província de Hubei (centro), colocada sob quarentena.

A primeira pessoa a morrer por causa do novo coronavírus fora da China foi um cidadão chinês nas Filipinas.

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há outros casos de infeção confirmados em mais de 20 países.

Na Europa, o número de casos confirmados chegou quinta-feira a 31, com novas infeções detetadas no Reino Unido, Alemanha e Itália.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou em 30 de janeiro uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional, o que pressupõe a adoção de medidas de prevenção e coordenação à escala mundial.

JMC // FPA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS