Vírus: Dois funcionários de casinos de Macau que vivem em cidade vizinha chinesa infetados

O Governo de Macau anunciou hoje que duas pessoas que trabalham em casinos de Macau e que vivem na cidade vizinha chinesa de Zhuhai estão infetadas com o novo coronavírus.

Vírus: Dois funcionários de casinos de Macau que vivem em cidade vizinha chinesa infetados

Vírus: Dois funcionários de casinos de Macau que vivem em cidade vizinha chinesa infetados

O Governo de Macau anunciou hoje que duas pessoas que trabalham em casinos de Macau e que vivem na cidade vizinha chinesa de Zhuhai estão infetadas com o novo coronavírus.

As autoridades do território desconhecem ainda onde os dois, um homem e uma mulher, foram infetados, mas acreditam que tenha sido no interior da China.

A mulher terá sido infetada na província de Hubei, epicentro do surto, indicaram as autoridades de Macau.

Em conferência de imprensa, o chefe de Prevenção e Controlo de Doenças dos Serviços de Saúde de Macau, Lam Chong, garantiu que os dois estão hospitalizados e a serem tratados na cidade de Zhuhai.

A secretária para os Assuntos Sociais e Cultura, Ao Ieong U, não excluiu na sexta-feira a hipótese de os casinos encerrarem provisoriamente caso se verifiquem casos de contágio do novo coronavírus dentro destes complexos.

O primeiro caso do novo coronavírus em Macau, capital mundial do jogo, foi anunciado em 22 de janeiro, dias antes da semana de celebrações do Ano Novo Lunar, altura em que os casinos normalmente registam enchentes e avultados ganhos provenientes das apostas dos milhares de turistas da China continental.

Na mesma conferência de imprensa de hoje, o Governo de Macau apelou aos residentes que estiveram na província chinesa de Hubei, epicentro do surto do novo coronavírus, que fiquem em isolamento em casa e contactem as autoridades.

“Devem ficar em isolamento em casa e qualquer situação que liguem aos bombeiros para irem ao hospital”, disse o chefe de Prevenção e Controlo de Doenças dos Serviços de Saúde de Macau, Lam Chong, em conferência de imprensa.

Minutos antes desta declaração, um comunicado do Governo do território indicava que “os residentes de Macau que se deslocaram à província de Hubei, por motivos de missão oficial, visita familiar ou viagem particular e regressaram a Macau após o dia 17 de janeiro (inclusive) devem contactar o pessoal dos Serviços de Saúde”.

Na mesma conferência de imprensa, Lam Chong frisou que “o nível de surto na comunidade é elevado”.

Cinquenta e três residentes de Macau estão em Hubei e as autoridades estão a encetar esforços para que, quem queira, possa regressar ao território, acrescentaram.

As autoridades indicaram ainda que a partir de domingo inicia-se a segunda fase de fornecimento de máscaras nas farmácias convencionadas e em outros locais. Casa cidadão pode levar dez máscaras por dez dias.

Para evitar casos de burla, como já aconteceu, só se pode levantar as máscaras com o documento de identificação.

A polícia anunciou hoje que o homem suspeito de estar infetado com o coranavírus chinês e que tinha fugido do hospital público de Macau foi detido pelas autoridades de Macau.

O homem, do interior da China, de 45 anos, poderá agora responder pelos crimes de reentrada ilegal e de fuga.

A perseguição policial durou cerca de 24 horas e terminou com a detenção do homem ao final da tarde de sexta-feira, segundo as forças de segurança.

Durante a conferência de imprensa de hoje as autoridades garantiram ainda que o homem não se encontra infetado com o novo coronavírus, após um segundo rastreio.

As autoridades de Macau identificaram até agora sete casos de infeção pelo novo coronavírus.

As escolas vão continuar encerradas até ordem em contrário.

Na sexta-feira, o Governo de Macau anunciou medidas de apoio económico à população para atenuar o impacto do novo coronavírus e definiu que os trabalhadores da função pública não urgentes devem ficar em casa até 07 de fevereiro.

A China elevou para 259 mortos e quase 12 mil infetados o balanço do surto de pneumonia provocado por um novo coronavírus (2019-nCoV) detetado no final do ano em Wuhan, capital da província de Hubei (centro).

Além do território continental da China e das regiões chinesas de Macau e Hong Kong, há mais casos de infeção confirmados em 24 outros países, com as novas notificações na Rússia, Suécia e Espanha.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou na quinta-feira uma situação de emergência de saúde pública de âmbito internacional.

MIM (JMC) // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS