Victor Torpedo lança quinto álbum a solo “Punk/Pop and Soft Rage”

O músico Victor Torpedo, membro dos Tédio Boys e The Parkinsons, lançou o seu quinto álbum a solo, intitulado “Punk/Pop and Soft Rage”, uma espécie de segundo capítulo de “Béri Béri”, lançado em 2020.

Victor Torpedo lança quinto álbum a solo

Victor Torpedo lança quinto álbum a solo “Punk/Pop and Soft Rage”

O músico Victor Torpedo, membro dos Tédio Boys e The Parkinsons, lançou o seu quinto álbum a solo, intitulado “Punk/Pop and Soft Rage”, uma espécie de segundo capítulo de “Béri Béri”, lançado em 2020.

O nome do álbum, editado pela conimbricense Lux Records, remete para a própria sonoridade que o guitarrista procurava, misturando o punk com uma abordagem “subversiva” às regras da pop, disse à agência Lusa Victor Torpedo.

“As pessoas têm medo da palavra pop. A única palavra de que tenho medo é o rock, que rock é rock’n’roll sem swing e para mim tem que ter swing. Eu não tenho medo de dizer que gosto do Prince ou dos Propaganda. Gosto quando as músicas são levadas ao extremo do seu potencial de beleza e não tenho medo da estética da pop”, contou.

O álbum, com todos os instrumentos gravados em casa por Victor Torpedo, foi feito num ápice e foi no envio das músicas ao seu “irmão de guerra” João Rui (vocalista dos a Jigsaw), para a mistura, que o nome do trabalho surgiu, salientou.

“A gente quase parece uma dupla daquelas da Motown dos anos 1950. Normalmente, temos uma simbiose tão boa que as misturas ficam quase como eu quero. Numa das músicas disse-lhe: ‘Olha, faz a coisa mais mais punk, pop e soft rage’. Ficou esse o nome”, recordou.

O álbum, explicou o guitarrista, está na “linhagem” de “Béri Béri”.

“Na altura, até tinha pensado num álbum duplo e este poderia ser a parte dois”, acrescentou.

Segundo Victor Torpedo, as letras presentes no álbum, que conta com quatro músicas instrumentais, abordam “temas pesados”.

“Falo muito sobre a cidade, sobre choques de gerações, sobre a doença do dinheiro. As minhas letras são muito visuais, porque falam do que vejo, das diferenças sociais que é uma coisa que me perturba mesmo”, frisou.

No entanto, essas letras pesadas acabam por se misturar com uma música que pode ter um tom mais positivo.

“Gosto de estar a cantar letras pesadas, com a música por trás muito alegre. É como num filme do David Lynch, em que há uma cena pesadíssima, mas com uma ‘lullaby’ toda linda por trás”, notou.

Para o músico, a pandemia veio afetar o rendimento, mas por outro lado acentuou a sua veia criativa.

“Sou um gajo acelerado e já tenho uns três ou quatro álbuns gravados para a frente”, frisou.

O CD de “Punk/Pop and Soft Rage” pode ser encomendado através de luxrecords@gmail.com, estando disponível em formato digital na plataforma Bandcamp (victortorpedo.bandcamp.com/album/punk-pop-and-soft-rage).

O álbum vai chegar às lojas durante este mês.

JGA // TDI

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS