Via Láctea tem uma massa equivalente a cerca de 1,5 mil biliões de vezes a do Sol

Astrónomos estimam, com base em novos dados, que a Via Láctea tem uma massa equivalente a cerca de 1,5 mil biliões de vezes a do Sol, divulgou hoje a Agência Espacial Europeia (ESA).

Via Láctea tem uma massa equivalente a cerca de 1,5 mil biliões de vezes a do Sol

Via Láctea tem uma massa equivalente a cerca de 1,5 mil biliões de vezes a do Sol

Astrónomos estimam, com base em novos dados, que a Via Láctea tem uma massa equivalente a cerca de 1,5 mil biliões de vezes a do Sol, divulgou hoje a Agência Espacial Europeia (ESA).

O número astronómico que desafia a imaginação foi calculado a partir de dados da missão europeia Gaia e de observações do telescópio espacial Hubble, operado pela ESA e pela agência espacial norte-americana NASA.

Estimativas anteriores davam conta de que a Via Láctea teria entre 500 mil milhões e três mil biliões de massas solares.

A incerteza quanto ao ‘peso’ da Via Láctea deveu-se em parte aos diferentes métodos usados para medir a distribuição da matéria escura, que não é visível e corresponde a cerca de 90% da massa desta galáxia, que alberga o Sistema Solar, onde se localiza a Terra.

A matéria escura de uma galáxia, e a sua distribuição, está ligada à formação e ao crescimento das estruturas no Universo. A determinação da massa da Via Láctea permite compreender melhor o seu contexto cosmológico, assinala a ESA em comunicado.

Para chegar à nova estimativa da massa da Via Láctea, uma equipa internacional de astrónomos mediu as velocidades dos aglomerados estelares, que orbitam o disco esférico da galáxia a grandes distâncias. Quanto mais massa tem uma galáxia, mais depressa se movem os aglomerados estelares ‘puxados’ pela sua gravidade.

Os astrónomos combinaram as medições de 34 aglomerados estelares obtidas a partir de informação recolhida da missão Gaia com as medições de 12 aglomerados mais distantes e registadas com base nas observações do telescópio Hubble.

A missão europeia Gaia, que em 2013 lançou para o espaço um satélite, visa mapear e caracterizar mais de mil milhões de estrelas da Via Láctea. Um primeiro pacote de dados foi divulgado em 2016 e um segundo em 2018, no qual se baseou esta investigação, que será publicada na revista científica The Astrophysical Journal.

ER // JMR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS