Vento não dá tréguas e retém na Madeira equipas de futebol e do Rali Vinho Madeira

O vento que se faz sentir sobre a pista do Aeroporto Internacional da Madeira — Cristiano Ronaldo continua a não dar tréguas, mantendo passageiros em terra, entre os quais desportistas com provas naquela ilha.

Vento não dá tréguas e retém na Madeira equipas de futebol e do Rali Vinho Madeira

Vento não dá tréguas e retém na Madeira equipas de futebol e do Rali Vinho Madeira

O vento que se faz sentir sobre a pista do Aeroporto Internacional da Madeira — Cristiano Ronaldo continua a não dar tréguas, mantendo passageiros em terra, entre os quais desportistas com provas naquela ilha.

Santa Cruz, Madeira, 07 ago (Lusa) – O vento que se faz sentir sobre a pista do Aeroporto Internacional da Madeira — Cristiano Ronaldo continua a não dar tréguas, mantendo passageiros em terra, entre os quais desportistas com provas naquela ilha.


No aeroporto mantêm-se passageiros desde domingo, entre os quais algumas equipas que estiveram a participar no Rali Vinho Madeira que acabou no sábado, dia 05 de agosto, mas que os ventos insistem em manter em terra.


Retida na Madeira está também a equipa de futebol do Penafiel, que no domingo jogou com Nacional para a II Liga, tendo ficado “hospedada” nas instalações do Nacional por sugestão do próprio clube, estando lá a fazer os treinos, disse fonte do clube.


Também a equipa do Paços de Ferreira teve problemas em chegar ao Funchal porque o voo onde seguia não conseguiu aterrar e convergiu para Porto Santo, indicou fonte do clube.


Com jogo marcado para terça-feira, frente ao Marítimo, para a Primeira Liga de Futebol, o Paços de Ferreira tem ligação para o Funchal marcada para hoje no navio Lobo Marinho.


No aeroporto encontram-se algumas pessoas a aguardar pelo voo, entre as quais uma jovem madeirense que se queixa da pouca informação que lhe dão.


Quando questionada sobre o que sabe quanto à partida da Madeira respondeu secamente, “nada!”.


“Estamos à espera de saber mais alguma coisa por parte da companhia, mas vou ter de aguardar ainda mais. Já estou aqui desde ontem [domingo], desde as quatro da manhã e depois voltei às 11 e ainda aqui estou quando já devia estar a trabalhar”, disse.


De acordo com esta passageira, que tem voo marcado para Lisboa e, posteriormente, para a Suíça, a TAP sugeriu-lhe fazer Lisboa, Barcelona e depois Suíça, mas a jovem não achou a sugestão “agradável” porque está acompanhada por uma criança ainda de colo.


As filas para os balcões de informação estão cada vez maiores, à medida que os aviões que deveriam começar a chegar ao aeroporto para deixar passageiros e levar outros, baralham todo o sistema, porque acabam por não conseguir aterrar.


É o caso de voos da companhia Easyjet que bem tentaram aterrar mas sem sucesso, tendo voltado ao destino, neste caso, Lisboa.


As pequenas abertas no vento permitiram, no entanto, a chegada de dois voos da companhia TUI.


Aos passageiros vão sendo distribuídas senhas de refeição, numa tentativa das companhias aéreas de minimizar ao máximo o desconforto de quem já espera há dois dias para sair da ilha da Madeira.


O Lobo Marinho, o navio que assegura as ligações marítimas entre a Madeira e Porto Santo, vai realizar hoje uma viagem extra para escoar os passageiros retidos naquela ilha devido ao condicionamento do aeroporto madeirense nos últimos dias.


A informação está na página da Porto Santo Line (PSL), a empresa concessionária da linha marítima entre as duas ilhas do arquipélago, que adianta que esta viagem está programada com partida do Porto Santo para o Funchal às 12:30.


“Devido ao condicionamento das operações aéreas sentidas nos últimos dias na região e ciente do contributo significativo que a alternativa marítima de transbordo tem vindo a dar, ao minorar o impacto desta situação anómala, a operação da Porto Santo Line será reforçada com uma viagem adicional”, pode ler-se.


A ligação marítima tem sido uma das formas de contornar o problema causado aos passageiros cujos aviões divergiram para a ilha do Porto Santo, permitindo-lhes ser transportados para a Madeira, que era o destino inicial.


A costa sul da ilha da Madeira está sob ‘aviso amarelo’ até ao final do dia de terça-feira devido ao vento forte com rajadas da ordem dos 80 quilómetros por hora no extremo leste, de acordo com o Instituto Português do Mar e Atmosfera.


O ‘aviso amarelo’, o terceiro mais grave, significa situação de risco para determinadas atividades dependentes das condições meteorológicas.


Às 10:45 estavam cinco aviões estacionados no Aeroporto Internacional da Madeira.



JYCA (AMB/HN) // MCL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS