A crónica de uma manhã a 'ferro e fogo' em Paris

A crónica de uma manhã a ‘ferro e fogo’ em Paris

A manifestação dos coletes amarelos pelas ruas de Paris, agendada para este sábado, dia 8 de dezembro, está a ser marcada por confrontos.

Mais de três centenas de pessoas encontram-se retidos nas ruas de Paris. A manifestação dos coletes amarelos já tinha sido considerada de alto risco e os confrontos entre polícia e manifestantes já comprovaram que a ameaça era real.

As autoridades já recorreram ao uso de gás lacrimogéneo para tentar dispersar as centenas de manifestantes que se encontram na zona do Arco do Triunfo.

LEIA MAIS: Cirurgias desmarcadas devido à greve dos enfermeiros serão reagendadas a partir de janeiro

O jornal espanhol ‘El País’ está em directo a partir da capital francesa e, nas imagens em directo, é possível ver que os coletes amarelos estão com tacos de basebol, ferros e a atirar grades contra a polícia de intervenção que se encontram no local.

Polícia tentou evitar caos em Paris

As autoridades policiais francesas tentaram diminuir os riscos associados a esta manifestação. Ainda durante a madrugada, pelo menos 300 pessoas foram detidas para interrogatório, de forma a tirar da rua elementos que constituíssem um potencial risco para a segurança.

Segundo fonte da polícia, as detenções ocorreram antes das 7:40 (hora de Lisboa). Numa actualização feita ao 12:50, a Polícia Francesa afirmava que tinha revistado mais de cinco mil pessoas durante a manhã. «Muito indivíduos violentos foram detidos com objectos perigosos», anunciou a autoridade através do Twitter. Até ao momento, entre 300 a 500 manifestantes já foram detidos.

No terreno estão também a polícia especial anti-crime francesa.

 LEIA MAIS: Macron admite aplicar “severidade” contra violência nos protestos dos “coletes amarelos”

Manifestantes pedem demissão de Macron

Emmanuel Macron é o principal alvo das críticas dos manifestantes. O aumento de impostos sobre o combustível foi o catalisador, mas neste momento já existem muito mais queixas e a violência verbal (e não só) tem subido de tom.

Explosões e algumas rendições

Num cenário caótico, entre inúmeras explosões e com a polícia pronta a investir sobre os manifestantes, muitos dos manifestantes colocaram-se de joelhos e renderam-se às autoridades. «Pensem nos nossos filhos», diziam alguns dos coletes amarelos rendidos.

Autoridades avançam sobre manifestantes

A polícia francesa tem vindo a subir linhas e a aproximar-se da coluna de manifestantes, tendo usado, numa primeira instância, granadas de gás lacrimogéneo na direcção dos elementos policiais. Perante a resistência dos coletes amarelos, a polícia tenta agora carregar com recurso a disparos de balas de borracha.

LEIA MAIS: Previsão do tempo para domingo, 9 de dezembro de 2018

Confrontos em Bruxelas

Na Bélgica, os ‘coletes amarelos’ entraram em confrontos com a polícia, naquela que foi uma manifestação sem aviso, difícil de prever e controlar. Em Espanha, camionistas com ligações aos coletes amarelos também estão a provocar distúrbios em Tarragona, estando encerrada a fronteira entre França e o país vizinho.

Trump diz que o seu nome é cantado em Paris

Donald Trump também usou o Twitter para falar sobre Paris. O presidente dos Estados Unidos reiterou o seu apoio aos ‘coletes amarelos’. O líder americano disse  ainda que os manifestantes cantam o seu nome pelas ruas parisienses.

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

A crónica de uma manhã a ‘ferro e fogo’ em Paris

A manifestação dos coletes amarelos pelas ruas de Paris, agendada para este sábado, dia 8 de dezembro, está a ser marcada por confrontos.