UE/Presidência: Turismo sustentável em África é crucial para economia — Brilhante Dias

O secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, defendeu hoje que é necessário desenvolver um turismo sustentável em África, com a criação de novo emprego, com vista ao crescimento da economia.

UE/Presidência: Turismo sustentável em África é crucial para economia -- Brilhante Dias

UE/Presidência: Turismo sustentável em África é crucial para economia — Brilhante Dias

O secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, defendeu hoje que é necessário desenvolver um turismo sustentável em África, com a criação de novo emprego, com vista ao crescimento da economia.

“Temos um setor em particular que é fundamental e crucial para desenvolver as nossas economias. […] Temos de desenvolver um turismo sustentável em África”, defendeu o secretário de Estado da Internacionalização, na sua intervenção no encerramento do seminário empresarial Portugal-África “Exportar ‘Verde’ – Internacionalização das empresas na era da sustentabilidade”.

Na data em que se assinala o Dia da Terra, o governante salientou que este é um setor com um papel crucial na defesa do ambiente e da sustentabilidade.

Relativamente às empresas portugueses presentes em África, Eurico Brilhante Dias lembrou que elas são já quase 18.000 e que se têm vindo a diversificar.

“Elas [as empresas portuguesas] estão a criar oportunidades em África, a criar emprego local e eu espero que este contributo possa ser uma importante ferramenta, não só para o desenvolvimento de melhores relações económicas, mas também de um ambiente sustentável em África”, referiu ainda no evento organizado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e pela aicep Portugal Global – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, no âmbito da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia (UE).

No entanto, o governante ressalvou que, para aumentar as exportações bilaterais entre a UE e África, é necessário reduzir as “barreiras ao comércio”, não só ao nível das taxas.

O secretário de Estado apontou ainda a necessidade de se criar um mecanismo financeiro adequado e incentivos, destacando o papel do Banco Mundial, do Banco de Investimento Africano e do Banco de Investimento Europeu, que devem estar alinhados com os objetivos da defesa do ambiente.

MPE // MSF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS