UE/Presidência: Restrições são “absolutamente fundamentais” face à covid-19

A presidente da Comissão Europeia defende que “as restrições são absolutamente fundamentais” para fazer face à pandemia de covid-19, e lembra a preocupação em torno da nova variante do vírus

UE/Presidência: Restrições são

UE/Presidência: Restrições são “absolutamente fundamentais” face à covid-19

A presidente da Comissão Europeia defende que “as restrições são absolutamente fundamentais” para fazer face à pandemia de covid-19, e lembra a preocupação em torno da nova variante do vírus

Lisboa, 15 jan 2021 (Lusa) — A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, defendeu hoje que “as restrições são absolutamente fundamentais” para fazer face à pandemia de covid-19, lembrando a preocupação em torno da nova variante do vírus.

Ursula von der Leyen falava em conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro, António Costa, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, após uma reunião plenária com o Governo português no âmbito da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE).

A presidente da Comissão Europeia começou por dizer que a presidência portuguesa “não podia ocorrer numa altura mais sensível para a União Europeia do que esta”, admitindo que “a situação é muito grave em vários Estados-membros”.

Von der Leyen admitiu que as novas variantes que têm sido descobertas no Reino Unido e no Brasil “são preocupantes, uma vez que aumentam a rapidez da disseminação do vírus”.

Por isso, e ainda que as restrições tenham “um impacto tremendo nas pessoas”, a presidente da Comissão Europeia defende que “são absolutamente fundamentais” para fazer face à pandemia de covid-19, pelo que “é imperativo” que os cidadãos se mantenham seguros.

“É duro, mas estamos nisto juntos e temos de ultrapassar esta pandemia juntos. A União Europeia vai apoiar os Estados-membros em todas as formas possíveis”, garantiu.

As declarações de Von der Leyen acontecem no dia em que entrou em vigor um novo confinamento em Portugal continental devido ao agravamento da pandemia de covid-19, com os portugueses sujeitos ao dever de recolhimento domiciliário, mas mantendo as escolas com o ensino presencial.

A presidente da Comissão Europeia chegou hoje a Lisboa para a tradicional visita do colégio de comissários ao país que assume a presidência do Conselho da UE, que, dada pandemia, se realiza em formato reduzido, com a presença de apenas oito comissários, e não a totalidade do executivo comunitário, e com o programa reduzido a um dia, em vez dos habituais dois.

Ursula Von der Leyen está acompanhada pelos três vice-presidentes executivos, Frans Timmermans (responsável pela pasta do Pacto Ecológico Europeu), Valdis Dombrovskis (Uma Economia ao Serviço das Pessoas) e Margrethe Vestager (Digital), e pelo vice-presidente e Alto Representante da UE para a Política Externa, Josep Borrell.

A delegação integra ainda a comissária portuguesa Elisa Ferreira (Coesão e Reformas), e os comissários Nicolas Schmit, que tem a tutela dos Assuntos Sociais, uma das grandes prioridades da presidência portuguesa, Margaritis Schinas (Promoção de um Modo de Vida Europeu) e Maros Sefcovic (Relações Interinstitucionais e Prospetiva).

Após a conferência de imprensa conjunta com o chefe do executivo português, a presidente da Comissão Europeia reuniu-se, por videoconferência, com o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues.

Ursula von der Leyen tem ainda um encontro com o presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e conclui o programa da visita de hoje a Lisboa com um jantar de trabalho com o primeiro-ministro, António Costa.

BYC // AMG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS