UE/Cimeira: Líderes dos 27 voltam a sentar-se à mesa após oito horas de consultas

Os 27 chefes de Estado e de Governo da União Europeia voltaram a sentar-se à mesma mesa, no Conselho Europeu que decorre em Bruxelas, após os trabalhos terem estado interrompidos cerca de oito horas, para consultas.

UE/Cimeira: Líderes dos 27 voltam a sentar-se à mesa após oito horas de consultas

UE/Cimeira: Líderes dos 27 voltam a sentar-se à mesa após oito horas de consultas

Os 27 chefes de Estado e de Governo da União Europeia voltaram a sentar-se à mesma mesa, no Conselho Europeu que decorre em Bruxelas, após os trabalhos terem estado interrompidos cerca de oito horas, para consultas.

A cimeira de líderes da UE, iniciada na sexta-feira de manhã em Bruxelas, e na qual os 27 buscam um compromisso sobre o próximo orçamento plurianual da União (2021-2027) e o Fundo de Recuperação para superar a crise da covid-19, foi retomada hoje ao final da manhã, mas por pouco tempo, pois ao início da tarde os trabalhos foram interrompidos para uma série de consultas.

As consultas, realizadas nos mais diversos formatos, prolongaram-se por cerca de oito horas, entre as 13:00 e as 21:00 locais (menos uma hora em Lisboa), tendo Charles Michel finalmente convocado os 27 para voltarem todos à mesa, para um jantar de trabalho durante o qual será feito um ponto da situação nas negociações, à luz das reuniões que o presidente do Conselho foi tendo com diferentes grupos de Estados-membros durante todo o dia.

O primeiro-ministro, António Costa, participou na primeira consulta levada a cabo hoje à tarde por Charles Michel, bastante alargada, pois o presidente do Conselho Europeu juntou à mesa os líderes de 11 países, incluindo os países do sul da Europa e os chamados ‘frugais’.

Na reunião participaram os chefes de Governo de Portugal, Espanha, Itália e Grécia, por um lado, os primeiros-ministros da Holanda, Áustria, Suécia, Dinamarca e Finlândia, por outro, a chanceler alemã Angela Merkel e o Presidente francês Emmanuel Macron, apontados como ‘mediadores’, e ainda a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Com o objetivo de se chegar a um compromisso em torno do Quadro Financeiro Plurianual da UE para os próximos sete anos e o Fundo de Recuperação, as duas bases do plano de relançamento da economia europeia para superar a crise da covid-19, que em conjunto atingem os 1,8 biliões de euros, este Conselho Europeu permanece com desfecho incerto, desconhecendo-se mesmo até quando decorrerá.

Fontes europeias indicam que, atendendo à atual situação, com os 27 ainda longe de um compromisso, o mais provável é a cimeira prosseguir no domingo.

ACC/ANE // MLS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS