Tributo a Amália, fado nas escadinhas e nas igrejas em setembro no festival Alfama

Um tributo a Amália Rodrigues, espectáculo sobre a história do fado e atuações de Ana Moura, Ricardo Ribeiro e Gisela João estão no cartaz do festival Santa Casa Alfama, em setembro.

Tributo a Amália, fado nas escadinhas e nas igrejas em setembro no festival Alfama

Tributo a Amália, fado nas escadinhas e nas igrejas em setembro no festival Alfama

Um tributo a Amália Rodrigues, espectáculo sobre a história do fado e atuações de Ana Moura, Ricardo Ribeiro e Gisela João estão no cartaz do festival Santa Casa Alfama, em setembro.

Lisboa, 08 jul 2019 (Lusa) – Um tributo a Amália Rodrigues, um espectáculo de ‘videomapping’ sobre a história do fado e atuações de Ana Moura, Ricardo Ribeiro e Gisela João estão no cartaz do festival Santa Casa Alfama, em setembro, neste bairro lisboeta.

O festival “que celebra o encontro de um país com a sua própria música”, hoje apresentado, decorrerá de 27 e 28 de setembro, com mais de 40 concertos em 12 palcos espalhados pelo “coração de Alfama”.

Do cartaz fazem parte, por exemplo, Ana Moura que prepara um novo álbum, Ricardo Ribeiro que apresentará o mais recente trabalho, “Respeitosa mente”, Sara Correia, Kátia Guerreiro e Marco Rodrigues, acompanhado de Marisa Liz e Tiago Pais Dias, dos Amor Electro.

No ano em que se assinalam duas décadas da morte de Amália Rodrigues, o festival presta-lhe um tributo com Diamantina, Gonçalo Salgueiro e Tânia Oleiro.

O festival contará ainda com uma atuação de Gisela João, “uma das fadistas mais queridas do público”, que será surpresa, sem anúncio prévio de dia, hora e local.

No terraço do Terminal de Cruzeiros de Lisboa, haverá “fado ao pôr do sol” com nomes como Jorge Fernando, Mário Pacheco e Ângelo Freire, com este guitarrista a apresentar-se acompanhado da Banda de Música da Força Aérea.

Na fachada do Museu do Fado, será projetado um espectáculo de ‘videomapping’, que contará a história do fado, do século XIX à atualidade, feito com a participação de Carlos do Carmo, Mariza, Camané e do guitarrista José Manuel Neto.

O largo do Chafariz de Dentro, o Grupo Sportivo Adicense, a Sociedade Boa União, as igrejas de São Miguel e Santo Estevão, e as escadinhas de São Miguel são alguns dos espaçoss onde irá ouvir-se fado nesta edição.

É nas escadinhas de São Miguel que se apresentarão Ada de Castro e António Rocha, Lenita Gentil e Pedro Moutinho, enquanto a igreja de Santo Estevão acolherá o espectáculo “O Fado Subiu ao Céu”, com nomes ainda a anunciar.

Destaque ainda para a iniciativa “O Palco do Público”, na esplanada do Museu do Fado, e na qual “o público é convidado a ganhar coragem para subir ao palco e mostrar o fadista que há em si”.

Este ano o festival contará ainda com dois nomes que estão para lá das fronteiras do fado, convocando o pop rock e a lusofonia, com João Só e Waldemar Bastos.

Quem comprar o passe para o festival terá de o trocar por uma pulseira que dará acesso a todos os espectáculos até ao limite de lotação de cada um.

Até 31 de agosto, o bilhete diário custa 15 euros e o passe 25 euros. A partir daí, o preço subirá progressivamente até aos aos 25 euros e aos 35 euros respetivamente.

O festival é patrocinado pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, que, segundo a organização, irá “desenvolver estruturas de acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida”.

SS // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS