Três milhões de euros para cinco longas-metragens em concurso do ICA de 2020

Cinco projetos cinematográficos, de realizadores como Miguel Gomes e Tiago Guedes, vão receber um total de três milhões de euros de financiamento à produção de longas-metragens, segundo decisão do Instituto do Cinema e do Audiovisual.

Três milhões de euros para cinco longas-metragens em concurso do ICA de 2020

Três milhões de euros para cinco longas-metragens em concurso do ICA de 2020

Cinco projetos cinematográficos, de realizadores como Miguel Gomes e Tiago Guedes, vão receber um total de três milhões de euros de financiamento à produção de longas-metragens, segundo decisão do Instituto do Cinema e do Audiovisual.

Os resultados, divulgados hoje pelo ICA, dizem respeito ao segundo concurso de apoio financeiro à produção de longas-metragens de ficção de 2020, com três milhões de euros de financiamento a repartir em partes iguais por cinco projetos.

São eles “Gran Tour”, de Miguel Gomes, “Vidros no asfalto”, de Edgar Pêra, “Restos”, de Tiago Guedes, “Sob a chama da candeia”, de André Gil Mata, e “Malcriado”, de Vicente Alves do Ó.

O primeiro concurso de 2020 de apoio à produção de longa-metragens, com um total de 1,8 milhões de euros, foi atribuído a “Um filme em forma de assim”, de João Botelho, “Projeto global”, de Ivo M. Ferreira, e “O pior homem de Londres”, de Rodrigo Areias.

A soma destes dois concursos representa 3,8 milhões de euros de apoio a oito projetos de longa-metragem de ficção. No mesmo concurso de 2019, tinham sido apoiados seis projetos com 3,6 milhões de euros.

“Gran tour” é um de vários projetos cinematográficos que Miguel Gomes tem em mãos, contando com argumento conjunto com Mariana Ricardo, Telmo Churro e Maureen Fazendeiro. A produção será de Uma Pedra no Sapato.

Miguel Gomes tem ainda em produção “Os sertões”, a partir de uma obra do escritor brasileio Euclides da Cunha, e o filme “Diários de Otsoga”, feito já em contexto de pandemia e coassinado com Maureen Fazendeiro.

A produtora Bando À Parte é contemplada com novo financiamento do ICA para “Vidros no asfalto”, numa altura em que Edgar Pêra tem ainda para estrear a longa-metragem “Não sou nada”, inspirada nos heterónimos de Fernando Pessoa, e rodada no verão passado.

Tiago Guedes, que está na fase de pós-produção da série “Glória”, que rodou para a plataforma Netflix, tem em marcha o filme “Restos”, pela produtora Leopardo Filmes, um drama sobre um homem que ficou com um problema mental depois de ter sido brutalmente espancado na adolescência, numa vila transmontana.

“Restos”, que conta com argumento de Tiago Rodrigues e deverá ser rodado ainda este ano, também recebeu apoio do canal francês Arte.

“Sob a chama da candeia”, de André Gil Mata, terá produção de Rua Escura, e “Malcriado”, de Vicente Alves do Ó, é produzido pela Ukbar Filmes.

A este segundo concurso de apoio a longas-metragens de 2020 concorreram 23 projetos cinematográficos.

SS // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS