Timor-Leste tem sexta pior velocidade de ligação à internet do mundo — estudo

Timor-Leste tem a sexta pior velocidade de ligação à internet do mundo, entre 221 países e territórios, com uma média de velocidade de descarregamento de apenas 0,89 megabits por segundo (Mbps), indicaram análises comparativas mundiais.

Timor-Leste tem sexta pior velocidade de ligação à internet do mundo -- estudo

Timor-Leste tem sexta pior velocidade de ligação à internet do mundo — estudo

Timor-Leste tem a sexta pior velocidade de ligação à internet do mundo, entre 221 países e territórios, com uma média de velocidade de descarregamento de apenas 0,89 megabits por segundo (Mbps), indicaram análises comparativas mundiais.

Os dados foram compilados pela empresa Cable, que há dez anos realiza análises comparativas sobre velocidades de banda larga, num projeto com a firma M-Lab, que recorre, por sua vez, a equipas nas instituições Code for Science and Society, New America’s Open Technology Institute, Google e Princeton University’s PlanetLab.

O pior da região da Ásia é Timor-Leste, onde um ficheiro de cinco gigabytes demora quase 13 horas a descarregar, de acordo com o estudo.

Descarregar o mesmo ficheiro no país mais bem classificado, Liechtenstein, demora apenas três minutos, e em Portugal, o 46.º na lista, demora em média 18 minutos.

Entre os lusófonos, Brasil é o 78.º, com uma velocidade de 17,89 Mbps, Cabo verde surge em 133.º lugar (6,64 Mbps), Angola é o 171.º (4,15 Mbps), e Moçambique é o 181.º (3,47 Mbps).

Entre os piores classificados estão São Tomé e Príncipe, na 203.ª posição (1,99 Mbps), e a Guiné Bissau, em 206.º lugar (1,61 Mbps).

Apenas a Síria, Guiné Equatorial, Turquemenistão, Iémen e Sudão do Sul têm piores resultados que Timor-Leste.

Entre os 27 países analisados na Ásia, Timor-Leste regista uma velocidade muito abaixo da média, que é de 20,18 Mbps. Em penúltimo lugar está o o Afeganistão com 1.37 Mbps.

Hong Kong regista a velocidade média mais elevada da região (105,32 Mbps).

Apesar das melhorias registadas na velocidade média global, o estudo notou que grandes disparidades no acesso com a “diferença entre os que têm e os que não têm a continuar a aumentar”.

Assim, os 100 países no topo da lista tiveram ganhos médios de velocidade de 28.61 Mbps (mais 142,98%), enquanto os 100 da segunda metade da classificação tiveram melhorias de apenas 1.54 MBps (mais 62,54%).

 

ASP // EJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS