Tiago Pitta e Cunha vence Prémio Pessoa 2021

O especialista em assuntos do mar venceu o Prémio Pessoa 2021. Tiago Pitta e Cunha, dedica-se há mais de duas décadas às políticas para os oceanos

Tiago Pitta e Cunha vence Prémio Pessoa 2021

Tiago Pitta e Cunha vence Prémio Pessoa 2021

O especialista em assuntos do mar venceu o Prémio Pessoa 2021. Tiago Pitta e Cunha, dedica-se há mais de duas décadas às políticas para os oceanos

O especialista em assuntos do mar Tiago Pitta e Cunha venceu o Prémio Pessoa 2021, anunciou o júri, esta sexta-feira, 17 de dezembo, numa transmissão “online”. O júri do Prémio Pessoa 2021 foi composto por Francisco Pinto Balsemão, que presidiu, Emílio Rui Vilar, Ana Pinho, António Barreto, Clara Ferreira Alves, Diogo Lucena, Eduardo Souto de Moura, José Luís Porfírio, Maria Manuel Mota, Pedro Norton, Rui Magalhães Baião, Rui Vieira Nery e Viriato Soromenho-Marques. O Prémio Pessoa, no valor de 60 mil euros, é uma iniciativa do semanário Expresso e da Caixa Geral de Depósitos, e visa reconhecer a atividade de cidadãos portuguesas com papel significativo na vida cultural e científica do país, tendo distinguido 36 personalidades desde 1987, em duas edições com dois premiados em simultâneo.

LEIA AGORA
Os conselhos da Direção-Geral da Saúde para o Natal e o Fim de Ano

Tiago Pitta e Cunha, defensor da importância estratégica do oceano e dos mares, é atualmente o administrador executivo do Conselho de Administração da Fundação Oceano Azul e foi conselheiro sobre os assuntos do mar para o antigo Presidente da República. Tem 54 anos, nasceu em Lisboa e é licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa e mestre em Direito Europeu e Internacional pela London School of Economics and Political Science. Foi assessor do presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas de 1995 a 1996, delegado da Assembleia Geral das Nações Unidas em 1998 e conselheiro na Missão Permanente de Portugal junto das Nações Unidas de 1999 a 2002. Nas Nações Unidas foi ainda representante de Portugal e da União Europeia para os assuntos marítimos, durante as presidências portuguesa e francesa em 2000. Representou Portugal na Convenção do Direito do Mar das Nações Unidas, na Autoridade Internacional dos Fundos Marinhos e no Processo Consultivo Informal das Nações Unidas sobre Oceanos e Direito do Mar. A nível nacional coordenou a Comissão Estratégica dos Oceanos, que redigiu a política nacional para os oceanos entre 2003 e 2004. Entre 2004 e 2010 foi membro do Gabinete do Comissário Europeu para os Assuntos Marítimos e, em 2016, foi distinguido com o Prémio do Cidadão Europeu pela iniciativas de promoção da governação dos oceanos nas Nações Unidas, na União Europeia e em Portugal.

 

Impala Instagram


RELACIONADOS