Teatro D. Maria acolhe peça de Joël Pommerat sobre dificuldades da democracia

Uma ficção política contemporânea inspirada na Revolução Francesa é o tema do espetáculo “Ça ira (1) Fin de Louis”, que o dramaturgo e encenador francês Joël Pommerat apresenta no Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, de sexta-feira a domingo.

Teatro D. Maria acolhe peça de Joël Pommerat sobre dificuldades da democracia

Teatro D. Maria acolhe peça de Joël Pommerat sobre dificuldades da democracia

Uma ficção política contemporânea inspirada na Revolução Francesa é o tema do espetáculo “Ça ira (1) Fin de Louis”, que o dramaturgo e encenador francês Joël Pommerat apresenta no Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, de sexta-feira a domingo.

Esta criação do autor e criador teatral nascido em 1963, e que em 1990 fundou a sua companhia de teatro Louis Brouillard, gira em torno da complexidade humana e é veiculada através dos vários personagens e grupos, representados em diferentes locais de debate e encontro, segundo o texto de apresentação do TNDM.

Neste espetáculo, prossegue o texto, o criador “procura mostrar, sem preconceitos, as ‘nuances’ e as posições dos diferentes lados” – as relações que podem ser estabelecidas entre o homem e a sociedade, é uma das interrogações levantadas no espetáculo, cuja dinâmica se inspira na Revolução Francesa sem que a reconstitua.

“É um quadro que serve para observar os conflitos humanos, o empenho de todos os membros da sociedade, o esforço e a efervescência desse momento fundador da política como ainda hoje a conhecemos”, lê-se na nota de apresentação da peça.

“O que leva os homens a derrubar o poder? Que novas relações devem ser estabelecidas entre o homem e a sociedade, os cidadãos e seus representantes? Como se organizar para sobreviver, criar uma comunidade, defender-se e ao mesmo tempo construir uma sociedade mais justa?”, prossegue o texto, concluindo que “entre ficção e realidade, ‘Ça ira (1) Fin de Louis’ relata a aprendizagem e as dificuldades ligadas ao estabelecimento de uma democracia”.

Joël Pommerat, que o TNDM considera “um dos mais singulares criadores do teatro francês contemporâneo”, apresentou-se pela primeira vez em Portugal no âmbito do Festival de Almada, em 2011, numa coprodução com o Nacional D. Maria, que pôs em cena “Círculos/Ficções”, uma demonstração da “vida de homens e mulheres perdidos na brutalidade do Mundo”.

Em 2018, de novo integrado no Festival de Almada, Joël Pommerat regressou à programação do TNDM, com “A reunificação das duas Coreias”, numa encenação da companhia croata Gavella Drama Theatre.

Falado em francês, com legendas em português, o espetáculo estará em cena na sala Garrett e terá três apresentações: na sexta e no sábado, às 19:00, e, no domingo, às 16:00

A criação é de Joël Pommerat, a dramaturgia, de Marion Boudier, e cenografia e luz de Éric Soyer, com pesquisa visual e figurinos de Isabelle Deffin.

A interpretar estão Anne Rotger, Anthony Moreau, Bogdan Zamfir David Sighicelli, Éric Feldman, Gérard Potier, Jean Ruimi, Marie Piemontese, Maxime Tshibangu, Noémie Carcaud, Philippe Frécon, Ruth Olaizola, Saadia Bentaïeb, Simon Verjans, Yannick Choirat e Yvain Juillard.

“Ça ira (1) Fin de Louis” insere-se na programação da Temporada Cruzada França Portugal.

CP // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS