Sem-abrigo encontrado morto «comido pelas ratazanas» em Almada

Um sem-abrigo foi encontrado sem vida num anexo onde vivia em Almada. O corpo do homem ficou desfigurado devido a ratazanas que o atacaram após morrer

Sem-abrigo encontrado morto «comido pelas ratazanas» em Almada

Sem-abrigo encontrado morto «comido pelas ratazanas» em Almada

Um sem-abrigo foi encontrado sem vida num anexo onde vivia em Almada. O corpo do homem ficou desfigurado devido a ratazanas que o atacaram após morrer

Um homem, com cerca de 70 anos, foi encontrado morto num anexo destinado ao armazenamento de botijas de gás de um prédio, em Almada. O sem-abrigo, que pernoitava há 25 anos naquele local, estava morto há cerca de cinco dias quando foi encontrado. O cadáver estava desfigurado por  ratazanas que atacaram o corpo do homem depois de este ter morrido, avança o Correio da Manhã.

O alerta foi dado às autoridades por um outro sem-abrigo que partilhava por vezes o espaço de arrumos com o septuagenário, junto ao número 11 da Rua Ramiro Ferrão, no passado domingo, dia 27 de janeiro. O caso já foi entregue à PSP que já está a investigar o caso.

Um dos operacionais dos bombeiros de Almada, chamados ao local após a denuncia, ficou tão chocado com o cenário que encontrou que fez um pedido de desculpas ao sem-abrigo por não o ter conseguido ajudar até ser tarde demais.

«Por onde anda a dignidade e a condição humana?»

«Fomos encontrá-lo morto num cubículo e, por muito que me custe dizer isto, sem parte da sua pele, comida pelas ratazanas que proliferam por aquelas bandas e que, aliás, tanto nós como a polícia as podíamos ouvir», começou por escrever o bombeiro.

O operacional ainda revela que pensava já ter visto de tudo nos seus 36 anos de carreira, mas que a situação que encontrou o chocou. O bombeiro termina o post deixando uma pergunta: «Por onde anda a dignidade e a condição humana?».

LEIA MAIS

ALERTA | Homem atingido a tiro em Lisboa. Agressores estão em fuga

Menino português de dois anos morre no Brasil. Família pede ajuda para transladar corpo

A versão da mãe de Julen: «Deixei de ouvi-lo chorar e comecei a gritar, desesperada»

 

Impala Instagram


RELACIONADOS