Sangue do triatleta na arma do crime trama Rosa Grilo

O ADN de Luís Grilo foi encontrado entranhado na arma do amante de Rosa Grilo

A arma de fogo utilizada para matar Luís Grilo foi apreendida ao amante de Rosa Grilo, António Joaquim, pela Polícia Judiciária (PJ), no momento em que a viúva e o homem foram detidos. A Polícia Cientifica rapidamente confirmou que a pistola do oficial de justiça era a que tinha sido disparada para matar o triatleta, tendo em conta que se trata de um modelo raro em Portugal.

LEIA MAIS: Viúva escreve carta a amante para combinar versão a ser contada

Mas, para além dos relatórios da balística corresponderem às informações que constam no relatório da autopsia, os últimos desenvolvimentos da investigação ligam irrevogavelmente a arma do amante ao crime, tendo em conta que foi encontrado ADN da vítima na pistola CZ 7,65 mm. O sangue do desportista estava alojado na chapa de platina da arma, avança o Correio da Manhã.

Ficou assim comprovado que a arma do homicídio é, sem dúvidas, a de António Joaquim, acusado de ser cúmplice de Rosa Grilo no homicídio do marido da arguida.

Rosa Grilo agride guarda prisional por lhe apreender carta

Rosa Grilo protagonizou cena de violência recentemente, no momento em que uma guarda prisional lhe apreende uma carta que pretendia enviar para a imprensa. A mulher do triatleta, presa na cadeia de Tires, recusou-se a entregar a carta e agride guarda.

Diana Fialho, que se encontra detida por suspeita de ter matado a mãe, e com quem Rosa Grilo tem desenvolvido uma grande amizade, foi aconselhada a não ajudar a viúva. A jovem também não pode escrever cartas por Rosa Grilo, sob pena de ser sujeita a um processo disciplinar.

VEJA AINDA: «A minha preocupação não é outra que não o meu filho»

 

 

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS