Rússia anuncia plano para aplicar 2% do PIB na redução de carbono

A Rússia vai investir entre 1,5% e 2% do PIB na redução de 80% das emissões de gases de efeito estufa até 2050 face aos níveis de 1990, no âmbito da nova estratégia adotada hoje pelo governo.

Rússia anuncia plano para aplicar 2% do PIB  na redução de carbono

Rússia anuncia plano para aplicar 2% do PIB na redução de carbono

A Rússia vai investir entre 1,5% e 2% do PIB na redução de 80% das emissões de gases de efeito estufa até 2050 face aos níveis de 1990, no âmbito da nova estratégia adotada hoje pelo governo.

Coincidindo com a cimeira do clima, COP26, que se realiza em Glasgow (Reino Unido), o primeiro-ministro, Mikhail Mishustin, anunciou a aprovação da “Estratégia para o desenvolvimento socioeconómico da Rússia com baixo nível de emissões de gases de efeito estufa até 2050”, elaborada por despacho do presidente Vladimir Putin.

Com o plano, anunciado após uma reunião do conselho de ministros, a Rússia pretende “reduzir suas emissões até 2050 em 60% em relação aos níveis de 2019 e em 80% em relação aos níveis de 1990”, explica o executivo em nota divulgada pela agência EFE.

“A implementação deste plano permitirá que a Rússia alcance a neutralidade de carbono até 2060”, acrescentou o governo.

“A implementação desta estratégia exigirá investimentos para reduzir as emissões de gases de efeito estufa da ordem de 1% do PIB (Produto Interno Bruto) entre 2022 e 2030 e entre 1,5% e 2% entre 2031 e 2050”, refere a mesma nota.

O executivo não especifica que percentagem do PIB irá alocar para atingir a meta de neutralidade de carbono em 2060.

Entre as medidas de descarbonização previstas pelo Governo russo estão apoios à introdução e implementação de tecnologias de baixo carbono ou livres de carbono, o estímulo de fontes de energia alternativas e mudanças nas políticas fiscais, aduaneiras e orçamentais.

As medidas incluem ainda o desenvolvimento da economia verde, iniciativas para preservar e aumentar a capacidade de absorção de florestas e outros ecossistemas e suporte para tecnologias de captura e emissões de gases de efeito estufa.

A partir de 2023, a Rússia planeia também introduzir um sistema obrigatório de resgate de carbono para as empresas.

O principal objetivo do plano “será garantir a competitividade e sustentabilidade do crescimento económico da Rússia no contexto da transição energética global”, disse Mishustin, vicando que o país pretende começar a implementar projetos climáticos já no próximo ano.

O plano de ação para a implementação da estratégia será desenvolvido no prazo de seis meses pelo Ministério do Desenvolvimento Económico.

DA // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS