Rosa Grilo e Diana Fialho passam o recreio juntas e tornam-se amigas na prisão de Tires

Uma é suspeita da morte da mãe e outra do marido. Diana Fialho e Rosa Grilo passam cerca de uma hora de recreio por dia juntas

Rosa Grilo é suspeita de ter matado o marido, Luís Grilo, em conluio com o amante. Já Diana Fialho, é acusada de de matar a mãe adotiva para lhe ficar com a herança e teve ajuda do marido, Iuri Mata.

Estão ambas em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional de Tires e, avança o Cascais 24, tornaram-se amigas. As duas mulheres estão detidas no pavilhão 1 e passam a cerca de uma hora de recreio por dia juntas, afastadas das restantes reclusas.

Ambas encenaram desaparecimentos já depois de terem cometido os crimes. Terão tal história em comum, bem como o facto de os companheiros estarem também eles detidos.

Rosa Grilo deu o marido como desaparecido  pelas 16h30 de 16 de julho mas Luís Grilo já estava morto antes disso. Terá sido Rosa, em conluio com António Joaquim, o amante, a matar o triatleta com um tiro.

A sua última versão é de que Luís foi morto por «dois angolanos e um branco» que queriam diamantes.

LEIA MAIS: Rosa Grilo: «Ele esteve com a cabeça no meu colo mais de 10 minutos e deram-lhe outro tiro»

Diana Fialho, acusada de matar a mãe adotiva, a professora Amélia Fialho, também ela matou a mãe antes de a dar como desaparecida. A professora, de 59 anos, foi morta à martelada depois de drogada na sua própria casa, no Montijo e, posteriormente, levada para um descampado pela filha e genro, em Pegões, onde o corpo foi incendiado.

Tanto Diana como Rosa vieram a público dar inúmeras entrevistas onde demonstravam preocupação e apreço pelos familiares desaparecidos.

LEIA MAIS: A herança que Diana Fialho esperava receber ao matar a mãe

 


RELACIONADOS

Rosa Grilo e Diana Fialho passam o recreio juntas e tornam-se amigas na prisão de Tires

Uma é suspeita da morte da mãe e outra do marido. Diana Fialho e Rosa Grilo passam cerca de uma hora de recreio por dia juntas