Rosa Grilo convida amante para ir dormir a sua casa após marido ter morrido

Rosa Grilo tentou apagar as mensagens que trocava com o amante, António Joaquim, antes de ter sido detida pelas autoridades sob a suspeita de ter matado o marido, Luís Grilo

Entre junho e setembro do ano passado, Rosa Grilo e António Joaquim falaram cerca de 2482 vezes por telefone, o que dá em média um total de 25 vezes por dia. Estes contactos coincidem com os 39 dias em que Luís Grilo esteve dado como desaparecido. Antes de ser detida sob a suspeita de ter matado o triatleta, Rosa Grilo terá tentado apagar este rasto de mensagens trocadas com o amante, avança o Correio da Manhã.

Na altura em que foi levada pelas forças policiais, Rosa Grilo nem sequer tinha o número de telefone de António Joaquim guardado na sua lista de contactos. O que a viúva se esqueceu foi que o funcionário judicial tinha lhe enviado mensagens através do telemóvel de um colega, num dia em que António Joaquim não tinha levado consigo o telemóvel para o trabalho.

A Polícia Judiciária conseguiu apanhar conversas entre os amantes, nas quais Rosa Grilo convidava para jantar e dormir, em sua casa, o amante durante o período em que Luís Grilo estava alegadamente desaparecido. A viúva chegava a enviar fotografias daquilo que estava a cozinhar para António Joaquim, com quem mantinha uma relação há três anos.

LEIA MAIS

Previsão do tempo para quarta-feira, 20 de março

Os resultados dos testes de ADN feitos à casa e ao carro dos McCann

 

 

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Rosa Grilo convida amante para ir dormir a sua casa após marido ter morrido

Rosa Grilo tentou apagar as mensagens que trocava com o amante, António Joaquim, antes de ter sido detida pelas autoridades sob a suspeita de ter matado o marido, Luís Grilo