República Democrática do Congo declara fim do 12.º surto de Ébola no país

O Ministério da Saúde da República Democrática do Congo declarou hoje o fim do 12.º surto de Ébola na história do país, que causou seis mortos, num total de 12 casos, na província oriental do Kivu Norte.

República Democrática do Congo declara fim do 12.º surto de Ébola no país

República Democrática do Congo declara fim do 12.º surto de Ébola no país

O Ministério da Saúde da República Democrática do Congo declarou hoje o fim do 12.º surto de Ébola na história do país, que causou seis mortos, num total de 12 casos, na província oriental do Kivu Norte.

“A resposta a esta epidemia foi influenciada pela expansão da pandemia de covid-19, que não poupou o nosso país”, disse o ministro da Saúde congolês, Jean-Jacques Mbungani.

Este último surto foi declarado em 07 de fevereiro e contou com casos nas cidades de Butembo, Byena, Katwa e Musienene, todas na região do Kivu Norte.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), “a análise da sequência genética indica que este surto está relacionado com o que durou dois anos e ocorreu nas províncias do Kivu Norte e Ituri, entre 2018 e 2020”, a décima epidemia de Ébola na RDCongo, que matou pelo menos 2.280 pessoas.

Por sua vez, a OMS relatou hoje, através da rede social Twitter, o fim deste último surto, e felicitou “as autoridades sanitárias, a saúde e as comunidades (locais) por este esforço”.

Apenas uma semana após este novo surto ter sido declarado, o Congo lançou oficialmente a campanha de vacinação contra esta doença contagiosa, que é transmitida através do contacto direto com sangue ou fluidos corporais contaminados de pessoas ou animais.

Na Guiné-Conacri, onde o vírus reapareceu em finais de janeiro no sul do país, causando 12 mortos, das 23 infeções registadas, o último doente confirmado com Ébola teve alta médica em 24 de abril, dando oficialmente início à contagem decrescente de 42 dias para declarar o fim do surto.

A Guiné-Conacri não tinha sido infetada pelo Ébola desde a grande epidemia que atingiu a África Ocidental, entre 2014 e 2016.

Os primeiros casos foram detetados neste país africano em finais de 2013, no que acabou por ser a pior epidemia de Ébola da história, com 11.300 mortes e mais de 28.500 pessoas infetadas, segundo as estimativas mais conservadoras.

SMM // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS