Relações Portugal-Brasil num debate que encerra celebrações “com chave de ouro”

Os laços culturais entre Portugal e Brasil dominaram o debate sobre o bicentenário da independência do Brasil e uma oportunidade para “fechar com chave de ouro” as celebrações, disse à Lusa o embaixador português

Relações Portugal-Brasil num debate que encerra celebrações

Relações Portugal-Brasil num debate que encerra celebrações “com chave de ouro”

Os laços culturais entre Portugal e Brasil dominaram o debate sobre o bicentenário da independência do Brasil e uma oportunidade para “fechar com chave de ouro” as celebrações, disse à Lusa o embaixador português

“De acordo daquilo que é o plano das comemorações do bicentenário da parte portuguesa, estamos praticamente a fechar com chave de ouro os eventos no Brasil”, sublinhou à Lusa Luís Faro Ramos, à margem do evento Bicentenário da Independência: laços culturais entre Brasil e Portugal, que decorreu na terça-feira na cidade do Rio de Janeiro, mas também em formato virtual.

No evento, organizado pelo Centro Brasileiro de Relações Internacionais, em conjunto com as autoridades portuguesas, marcaram presença, para além de Luís Faro Ramos, o antigo embaixador de Portugal no Brasil Francisco Seixas da Costa, o ex-ministro do Meio Ambiente e da Fazenda brasileiro Rubens Ricupero, o ex-secretário geral do Ministério das Relações Exteriores brasileiro Marcos Azambuja e ainda a curadora e consultora de arte Evangelina Seiler.

A tónica foi centrada na forma como Portugal olha para Brasil, principalmente a comunidade brasileira, que tem vindo a crescer gradualmente ao longo dos anos em Portugal e já é a maior população estrangeira no país.

Os pilares que sustentam a vinda de brasileiros para turismo, fazer negócios e residir são “segurança, saúde e educação”, sustentados através de uma língua em comum, frisou Luís Faro Ramos, que vê neste êxodo “tendência para aumentar numa forma muito relevante”.

Também à Lusa, Francisco Seixas da Costa observou que, com o virar do século, a “visão caricatural do Brasil” alterou-se e que agora “o Brasil é muito mais conhecido devido à presença de brasileiros em Portugal”

“A presença de brasileiros em Portugal é um elemento que, na minha opinião, funciona muito para naturalizar a relação entre os dois países”, frisou.

“Hoje em dia conhecemos muito melhor o Brasil”, disse Seixas da Costa, dando o exemplo do interesse mediático que os portugueses deram ao processo eleitoral de 30 de outubro que levou à eleição de Lula da Silva.

Em relação ao crescimento do número de brasileiros em Portugal, que Francisco Seixas da Costa estima que chegarão ao 5% da população brasileira, o diplomata olha para esta subida “com muitos bons olhos”

Os brasileiros são a principal comunidade estrangeira residente no país, representando no ano passado 29,8% do total, o valor mais elevado desde 2012.

No final do ano passado, viviam em Portugal 204.694 brasileiros, sendo também a comunidade oriunda do Brasil a que mais cresceu em 2021 (11,3%) face a 2020.

“É um tipo de migração que rejuvenesce o país e por outro lado projeta valores comportamentais e culturais muito próximo dos valores portugueses”, em comparação com outros tipos de migração que comportam desafios, frisou.

No dia 07 de setembro de 2022 assinalou-se 200 anos do famoso grito “Independência ou morte!”, de D.Pedro, às margens do Rio Ipiranga.

 

MIM // VQ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS