Recolha das lamas retiradas do rio Tejo em Vila Velha de Ródão começou hoje

Recolha das lamas retiradas do rio Tejo em Vila Velha de Ródão começou hoje

Os trabalhos de recolha e transporte das lamas removidas do rio Tejo, junto às Portas de Ródão, começou hoje, sendo que o destino final das lamas desidratadas vai ser a compostagem, anunciou o Governo.

Em comunicado, o Ministério do Ambiente explica que esta é a fase final da operação iniciada com a aspiração das lamas do fundo do Tejo, junto a Vila Velha de Ródão, que estavam depositadas num terreno junto ao rio.

Os trabalhos de remoção de lamas, junto às Portas de Ródão, começaram em junho e foram concluídos no início de agosto, tendo sido retirados mais de 15 mil metros cúbicos de matéria orgânica.

“O destino final a dar às lamas desidratas, cujo peso estimado é de 2.500 toneladas, será a compostagem e posterior aplicação na agricultura, como corretivo orgânico. O destino final destas lamas cumpre assim os princípios de economia circular”, lê-se no comunicado.

O Ministério do Ambiente adianta que as análises realizadas pela Empresa Portuguesa das Águas Livres (EPAL) evidenciam elevada sicidade (secura) das lamas, superior à inicialmente esperada, com médias consistentes superiores a 30%.

“As análises revelaram também uma reduzida percentagem de matéria volátil, o que indicia a elevada estabilização das lamas, e a ausência de substâncias perigosas, mantendo-se a classificação de resíduo não perigoso”, conclui o Governo.

CAYC // SSS

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Recolha das lamas retiradas do rio Tejo em Vila Velha de Ródão começou hoje

Os trabalhos de recolha e transporte das lamas removidas do rio Tejo, junto às Portas de Ródão, começou hoje, sendo que o destino final das lamas desidratadas vai ser a compostagem, anunciou o Governo.