PSD manifesta pesar pela morte de antigo dirigente Manuel Ferreira Patrício

O PSD manifestou o seu pesar pela morte do professor Manuel Ferreira Patrício, considerando que representa “uma grande perda para a família social-democrata”, numa nota da direção hoje divulgada nas redes sociais.

PSD manifesta pesar pela morte de antigo dirigente Manuel Ferreira Patrício

PSD manifesta pesar pela morte de antigo dirigente Manuel Ferreira Patrício

O PSD manifestou o seu pesar pela morte do professor Manuel Ferreira Patrício, considerando que representa “uma grande perda para a família social-democrata”, numa nota da direção hoje divulgada nas redes sociais.

O antigo reitor da Universidade de Évora morreu no sábado, aos 82 anos, no Hospital Santa Luzia, em Elvas, no distrito de Portalegre, onde estava internado.

“O desaparecimento do professor Manuel Ferreira Patrício representa uma grande perda para a família social democrata, porquanto, ao longo de toda a sua vida, este insigne professor sempre lutou pelos ideais do PSD, enfrentando grandes adversidades públicas e privadas pela sua coragem e firmeza na defesa do ideário da social democracia, particularmente no Alentejo e sobretudo nos primeiros anos pós-revolução”, destaca a nota da direção do PSD.

A direção do partido refere que, como militante, Manuel Ferreira Patrício “sempre deu a cara e nunca baixou os braços”, ocupando diversos cargos dirigentes no PSD, entre os quais o de presidente da Comissão Política Distrital de Évora.

“Enquanto académico, Manuel Ferreira Patrício deixa um legado de enorme relevância como linguista, filósofo, e pedagogo”, destacam os sociais-democratas, realçando o seu papel à frente da Universidade de Évora, onde foi professor catedrático e reitor.

“O PSD curva-se à memória de tão insigne militante, na certeza de que o legado do professor Manuel Ferreira Patrício o manterá bem vivo e presente na memória das atuais e futuras gerações”, acrescenta o texto.

Nascido em Montargil, no concelho de Ponte de Sor, Portalegre, a 23 de setembro de 1938, Ferreira Patrício foi condecorado com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique, em 2012, pelo então Presidente da República, Cavaco Silva.

O ex-reitor era licenciado em Filosofia, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, doutorado em Ciências da Educação, especialidade Filosofia da Educação, e agregado em Teoria da Educação e em Axiologia Educacional.

Ferreira Patrício foi reitor da Universidade de Évora entre 2002 e 2006, instituição onde foi docente, presidente do Conselho do Departamento de Pedagogia e Educação e do Conselho Pedagógico, entre outros cargos.

O pedagogo foi ainda diretor-geral do Departamento do Ensino Superior do Ministério da Educação, presidente da Comissão de Planeamento da Região Sul, do Instituto de Inovação Educacional do Ministério da Educação e do Conselho Científico da Escola Superior da Educação de Beja.

Além da Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique, também lhe foi atribuído o Doutoramento Honoris Causa pela Universidade do Porto, em 2002, e a Medalha de Mérito Municipal, Classe de Ouro, pela Câmara de Évora, em 2006.

Num comunicado enviado à Lusa, a Universidade de Évora indicou que a atual reitora da academia, Ana Costa Freitas, decretou três dias de luto académico pelo falecimento de Manuel Ferreira Patrício.

SMA (APL/SM) // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS