PS recorda “poderoso ícone da emigração” em voto de pesar pela morte de Linda de Suza

O Partido Socialista entregou hoje no parlamento um voto de pesar pela morte da cantora Linda de Suza, ocorrida no passado dia 28, que recorda como “um poderoso ícone da emigração portuguesa”.

PS recorda

PS recorda “poderoso ícone da emigração” em voto de pesar pela morte de Linda de Suza

O Partido Socialista entregou hoje no parlamento um voto de pesar pela morte da cantora Linda de Suza, ocorrida no passado dia 28, que recorda como “um poderoso ícone da emigração portuguesa”.

“A Assembleia da República, reunida em plenário, manifesta o seu pesar pela morte da artista Linda de Suza, reconhecendo a importância que teve para tantas gerações de portugueses em França e para além das suas fronteiras, como um poderoso ícone da emigração portuguesa, enviando aos seus familiares e amigos as mais sentidas condolências”, lê-se no voto de pesar, que será votado em plenário na sexta-feira.

Linda de Suza, que emigrou em 1970 para França, onde fez carreira na música, morreu em 28 de dezembro, aos 74 anos, vítima de covid-19. O funeral realiza-se na sexta-feira em Paris.

No voto de pesar, o PS evoca Linda de Suza como “um poderoso ícone da emigração portuguesa, particularmente em França, que via no seu percurso um espelho dos seus objetivos de uma vida melhor, de afirmação e de reconhecimento”.

“Canções como ‘J’ai deux Pays pour un seul coeur’, ‘La Symphonie du Portugal’ ou ainda ‘L’étrangère’, entre tantas outras da sua vasta discografia, são canções emblemáticas em que facilmente os portugueses em França se reviam pela forma aberta e sem complexos como afirmava a sua condição de emigrante, a sua luta, os seus sonhos e, sempre, a sua ligação ao país, com saudade. O facto de cantar em francês foi uma forma de afirmação perante o país de acolhimento muito importante e a voz pública de todos os portugueses”, referem ainda os socialistas.

O voto de pesar cita ainda o “justo reconhecimento” do Presidente francês, Emmanuel Macron, que “considerou Linda de Suza uma ‘rainha dos anos 80’ e afirmou que a cantora portuguesa ‘se encontrou no cruzamento de duas culturas e de duas línguas’, afirmando-se como ‘um ícone dos destinos cruzados dos nossos dois povos'”.

“Linda de Suza é um grande símbolo da emigração portuguesa e merece ser recordada como tal”, destacou o PS.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, evocou Linda de Suza como “exemplo de determinação” e “um ícone francês da imigração portuguesa e, portanto, um ícone de Portugal”.

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, Paulo Cafôfo, afirmou na rede social Twitter que Linda de Suza “levou Portugal na sua mala de cartão e na sua voz”.

Nascida em 1948 em Beringel, no concelho de Beja, Linda de Suza estreou-se como cantora no restaurante “Chez Loisette”, em Saint-Ouen, a norte de Paris. No início da carreira ficou conhecida pela música “Um Português (Mala de Cartão)”, no qual cantou os lamentos da saudade de quem deixou o país.

A sua história foi adaptada à televisão numa minissérie intitulada “Mala de Cartão” (1988).

Linda de Suza passou por contratempos pessoais que tiveram eco na imprensa: em 2010, tornou públicas as suas dificuldades financeiras e acusou o companheiro de lhe roubar a identidade, na época, afirmou que vivia com cerca de 400 euros mensais. Contudo, voltou aos palcos e, entre 2014 e 2017, realizou várias digressões.

Em 2020, apresentou um novo projeto, “Postais de Portugal”, com o qual preparava nova digressão que a pandemia de covid-19 obrigou a cancelar.

JH (CYF/IEL/SMM) // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS