PRR: Governo quer todo o cinema português digitalizado e todas as salas equipadas

O Ministério da Cultura anunciou hoje que quer todo o cinema português digitalizado e todas as salas do país capacitadas com equipamento digital, através das verbas inscritas no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

PRR: Governo quer todo o cinema português digitalizado e todas as salas equipadas

PRR: Governo quer todo o cinema português digitalizado e todas as salas equipadas

O Ministério da Cultura anunciou hoje que quer todo o cinema português digitalizado e todas as salas do país capacitadas com equipamento digital, através das verbas inscritas no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

A intenção foi manifestada pelo secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, Nuno Artur Silva, numa sessão de apresentação de novos recursos e relançamento do Plano Nacional de Cinema, na Cinemateca, em Lisboa.

Nuno Artur Silva falou na expectativa de haver condições “para proceder à digitalização de todo o cinema português e à dotação de equipamentos, máquinas de projeção digital em todas as salas do país”.

“Poder ter todo o cinema disponível em todos os sítios, em todas as salas de todo o país. […] Vamos conseguir concretizar com o célebre dinheiro europeu”, reforçou Nuno Artur Silva.

No dia 22, o Governo submeteu a Bruxelas o PRR, que destina 243 milhões de euros (ME) ao setor da Cultura, com 150 milhões de euros para a requalificação do património e 93 milhões para “redes culturais e transição digital”.

Nesta vertente, o PRR prevê a “modernização da infraestrutura tecnológica da rede de equipamentos culturais” como “teatros, cineteatros, cinemateca, museus, centros de arte, bibliotecas, Torre do Tombo, Biblioteca Nacional, laboratórios de conservação e restauro, Arquivo Nacional da Imagem em Movimento e instalação do Arquivo Nacional do Som”.

O PRR inclui também a “digitalização de artes e património” e “a internacionalização, a modernização e a transição digital do livro e dos autores”.

“Vai dar uma capacitação à exibição de cinema absolutamente extraordinária” e abrangendo todo o território, seja numa ilha nos Açores, seja em Bragança. “Onde houver salas haverá equipamento digital e haverá possibilidade de ver património da Cinemateca”, disse Nuno Artur Silva.

A preservação, restauro, digitalização e divulgação do património fílmico português são quatro das missões da Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, em particular através do Arquivo Nacional da Imagem em Movimento e do laboratório de restauro fílmico, único na Península Ibérica.

A prioridade de “capacitação dos auditórios” elencada hoje por Nuno Artur Silva deverá estar articulada também com a anunciada Rede de Teatros e Cineteatros, cuja criação foi promulgada em 2019 pelo Presidente da República e que está ainda em processo de concretização.

No passado dia 22, o Governo aprovou, em Conselho de Ministros, o decreto-lei que cria e regula o apoio à programação dos teatros e cineteatros que integram a Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses.

SS // TDI

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS