Projeto Coletivo do Musicbox começa a ser apresentado ao vivo a partir de 6.ª feira

Os projetos criados pelas editoras independentes de música portuguesas Cuca Monga, Discotexas, Lovers & Lollypops, Monster Jinx e Omnichord Records, a convite do clube Musicbox, começam a ser apresentados ao vivo a partir de sexta-feira, em Lisboa.

Projeto Coletivo do Musicbox começa a ser apresentado ao vivo a partir de 6.ª feira

Projeto Coletivo do Musicbox começa a ser apresentado ao vivo a partir de 6.ª feira

Os projetos criados pelas editoras independentes de música portuguesas Cuca Monga, Discotexas, Lovers & Lollypops, Monster Jinx e Omnichord Records, a convite do clube Musicbox, começam a ser apresentados ao vivo a partir de sexta-feira, em Lisboa.

Num comunicado hoje divulgado, o Musicbox anuncia que “arranca já esta sexta, 06 de agosto, o ciclo de apresentações das criações desenvolvidas no âmbito do Coletivo, o desafio lançado no ano passado às editoras Cuca Monga, Discotexas, Lovers & Lollypops, Monster Jinx e Omnichord Records, com o objetivo de viabilizar projetos originais envolvendo bandas e artistas das suas casas”.

O ciclo arranca na sexta-feira com a Cuca Monga, editora de, entre outros, Luís Severo e Capitão Fausto, que optou por juntar “os seus 20 músicos para criar um disco à distância, em cadáver esquisito”.

“Conjunto Cuca Monga Apresenta Cuca Vida” é “um disco onde se partilham experiências de quarentena e se celebra a amizade, escudos e coisas que tais”. “A palco subirão os cerca de 20 músicos [que fizeram parte] da composição e gravação deste disco em duas sessões, na Fábrica do Pão na Casa do Capitão: uma às 19:00 e outra, já esgotada, às 21:00”, lê-se no comunicado.

Em 14 de agosto, é a vez da Omnichord Records, de Leiria, apresentar ao vivo, na Fábrica do Pão, “Rita ou Rito?”, “uma criação onde elementos da editora se juntam a alguns amigos para uma reinterpretação do filme ‘Rita ou Rito’ (1927) por uma das mais misteriosas e pioneiras figuras do cinema portugue^s, Reinaldo Ferreira, tambe´m conhecido como Repo´rter X”.

No dia 28 de agosto, é a vez a Monster Jinx, do Porto, apresentar ao vivo, no terraço da Casa do Capitão, o quinteto Monster Jinx Type Beat.

“Maria, MAF, DarkSunn, SlimCutz e Vasco Completo sa~o a formac¸a~o inicial deste projeto que, atrave´s de originais produzidos em simbiose, ira~o apresentar a este´tica que a Monster Jinx nos tem habituado: mu´sica que sirva de banda sonora ao fumo roxo”, refere o Musicbox.

A editora Discotexas, dedicada à música de dança, criada por Moullinex e Xinobi, apresenta, no dia 05 de setembro, na Fábrica do Pão, Instituto Superior Techno, “um projeto nascido numa mesa-redonda de artistas com afinidades este´ticas e humanas”.

“Pensado inicialmente como terapia de grupo, o IST troca a pista imaginada pelo palco, num espeta´culo a va´rias ma~os: Moullinex, Best Youth, Xinobi e GPU Panic”, lê-se no comunicado.

O ciclo de apresentações encerra em 12 de novembro, com o primeiro concerto do Septeto Interregional, da Lovers & Lollypops.

A editora do Porto convidou seis músicos de seis localidades diferentes para formarem a Banda Clube L&L: Ariana Casellas (Sereias), Mr Gallini (Stone Dead), Rafael Ferreira (Glockenwise), Rodrigo Carvalho (Solar Corona), Violeta Azevedo (Savage Ohms) e Zézé Cordeiro (José Pinhal Post Mortem Experience).

A banda criou, em conjunto com o artista multimédia Serafim Mendes, um disco e um espetáculo.

Fica a faltar a apresentação de “Lisboa Crioula”, da CelesteMariposa, editora do produtor e DJ Wilson Vilares.

Os preços dos bilhetes variam entre os seis e os doze euros e podem ser adquiridos em www.casa-capitao.com ou na plataforma SeeTickets.

O Musicbox, localizado numa área de discotecas e bares no Cais do Sodré, em Lisboa, assume-se como “um híbrido entre sala de espetáculos e um espaço de dança”, e está encerrado desde março do ano passado.

O projeto Coletivo é apoiado pelo Fundo de Emergência Social — Cultura, da Câmara Municipal de Lisboa.

JRS // MAG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS