Primeira UCI de Cabo Verde assiste mais de 30 pacientes com cerca de 80% de recuperação

A primeira Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) de Cabo Verde, inaugurada em maio no Hospital Agostinho Neto (HAN), já atendeu 30 pacientes, tendo uma taxa de recuperação de 80%, disse hoje o presidente do maior hospital do país.

Primeira UCI de Cabo Verde assiste mais de 30 pacientes com cerca de 80% de recuperação

Primeira UCI de Cabo Verde assiste mais de 30 pacientes com cerca de 80% de recuperação

A primeira Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) de Cabo Verde, inaugurada em maio no Hospital Agostinho Neto (HAN), já atendeu 30 pacientes, tendo uma taxa de recuperação de 80%, disse hoje o presidente do maior hospital do país.

Imadueno Cabral avançou os dados na sua intervenção no ato de entrega por parte da China de equipamentos aos serviços do Hospital Universitário Agostinho Neto, da Praia, o maior do país, referindo que a UCI está a funcionar em pleno e neste momento atende pacientes de todas as ilhas.

“Já assistimos mais de 30 pacientes, em que tivemos mais de 80% de recuperação”, referiu a mesma fonte sobre a UCI, inaugurada em 16 de maio passado, com seis camas e tecnologia avançada.

Durante a cerimónia de inauguração, Imadueno Cabral explicou que o hospital, com 138 anos de atividade, atende “em condições normais” mais de 100 mil utentes no Serviço de Urgência, anualmente, dos quais cerca de “15% são assistidos nas unidades de cuidados especiais”.

O hospital contava apenas com quatro salas para cuidados intermédios para “responder” a 32 especialidades médicas e a uma cobertura praticamente nacional, às quais se acrescentam as novas seis camas da UCI, de 100 metros quadrados e com “alto padrão tecnológico”, em equipamentos de acompanhamento do estado de saúde dos doentes internados.

O projeto, que começou a ser implementado em abril de 2021, está avaliado em 100 milhões de escudos (cerca de 906 mil euros) e teve o apoio de vários parceiros, entre os quais o Fundo Global das Nações Unidas, a Organização Mundial da Saúde (OMS), a CCS-Sida, da embaixada de Portugal em Cabo Verde e das cooperações chinesa e luxemburguesa.

Em junho, médicos e enfermeiros da Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos estiveram a apoiar a primeira UCI do país, em cuidados de doentes críticos com necessidade de ventilação mecânica.

Relativamente aos equipamentos doados pela China, o presidente do conselho de administração disse que “vão fazer muita diferença” na prestação de cuidados, sobretudo nas áreas de fisioterapia, ortotraumatologia e acupuntura.

Entre os materiais entregues aos serviços do Hospital Universitário Agostinho Neto estão 500 agulhas de acupuntura cosmética, 300 tampas descartáveis, 200 Cateter uterino, 130 agulhas de acupuntura descartáveis de diferentes tamanhos, 20 ventosas de vidro, máscaras.

Todos os equipamentos estão avaliados em 4,3 milhões de escudos (cerca de 39 mil euros), e a entrega foi feita pelo embaixador da China em Cabo Vede, Xu Jie, ao presidente do Hospital Agostinho Neto, no âmbito da cooperação existente entre os dois países.

A China tem sido um dos grandes parceiros do desenvolvimento de Cabo Verde, apoiando, além da saúde, em diversas áreas, como habitação social, militar, económica, tecnologia, segurança e formação de quadros na cultura.

Há um ano, a China doou equipamentos a Cabo Verde para criar a primeira unidade de acupuntura no país, que, segundo o presidente, já atendeu mais de 1.000 pacientes.

RIPE (PVJ) // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS