Presidente do Conselho de Reitores quer recuperar Comissão Especializada de Cultura

O presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas vai propor a reconstituição da Comissão Especializada de Cultura como forma de promover uma maior coordenação entre as estratégias das diferentes universidades públicas.

Presidente do Conselho de Reitores quer recuperar Comissão Especializada de Cultura

Presidente do Conselho de Reitores quer recuperar Comissão Especializada de Cultura

O presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas vai propor a reconstituição da Comissão Especializada de Cultura como forma de promover uma maior coordenação entre as estratégias das diferentes universidades públicas.

“Irei propor a reconstituição da Comissão Especializada de Cultura do CRUP de forma a promover uma maior coordenação e complementaridade entre as estratégias culturais das diferentes universidades públicas”, anunciou António de Sousa Pereira durante uma intervenção no “Encontro Nacional Universidade e Cultura #1”, esta manhã, no Porto.

O reitor da Universidade do Porto, falando naquele momento enquanto presidente do CRUP, aproveitou a presença dos ministros da Cultura, Graça Fonseca, e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, para apelar a uma maior cooperação no domínio da cultura entre as universidades portuguesas, salientando que as universidades devem assumir-se como instituições culturais de referência.

“A cultura não pode estar à margem do ensino superior sob pena de comprometer não só crescimento intelectual e cívico dos estudantes universitários como também a sua própria preparação técnico-científica”, alertou, acrescentando que é necessário que as universidades colaborem mais e de forma “mais consequente em iniciativas culturais”.

Para o CRUP, é necessário reforçar e expandir a cooperação cultural entre instituições promovendo o acesso aos museus e ao seu património material e imaterial, definindo uma programação cultural regular e atrativa que permita aproximar a universidade e os cidadãos.

“As instituições de ensino superior não podem estar encerradas em torres de marfim fazendo circular o conhecimento e a cultura apenas no estrito reduto da sua comunidade académica, pelo contrário, às universidades exige-se abertura à sociedade, capacidade de diálogo com as instituições e grupos sociais mais influentes tendo em vista a democratização do saber”, disse.

No mesmo encontro organizado pela Universidade do Porto, a ministra da Cultura, Graça Fonseca assumiu o compromisso de alargar o Plano Nacional das Artes (PNA) ao ensino superior, garantindo que a cultura é uma presença permanente e ativa em todas as fases da educação dos alunos.

Antes, o Ministro do Ensino Superior, tinha já desafiado as universidades portuguesas a dinamizar, durante a Presidência Portuguesa, no quadro da rede europeia de instituições, um programa que estimule “efetivamente” a articulação entre a cultura e o ensino superior.

VSYM // HB

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS