Presidente do Coliseu do Porto sai em abril por “razões de dignidade e confiança”

O presidente da Associação dos Amigos do Coliseu do Porto alegou razões de “dignidade e confiança” para renunciar ao cargo que ocupa desde 2014 e quer abandonar em abril, após ter sabido da sua substituição pela comunicação social.

Presidente do Coliseu do Porto sai em abril por

Presidente do Coliseu do Porto sai em abril por “razões de dignidade e confiança”

O presidente da Associação dos Amigos do Coliseu do Porto alegou razões de “dignidade e confiança” para renunciar ao cargo que ocupa desde 2014 e quer abandonar em abril, após ter sabido da sua substituição pela comunicação social.

Num email a que a Lusa teve hoje acesso, o representante da Área Metropolitana do Porto (AMP) na Direção da Associação dos Amigos do Coliseu, Eduardo Paz Barroso, que se encontra a cumprir o segundo mandato, refere ter solicitado à AMP a confirmação dessa notícia e indicações sobre a operacionalização da anunciada alteração de representante.

No dia 28 de fevereiro, a AMP aprovou, por unanimidade, indicar o nome de Maria João Castro para a representar na direção da Associação Amigos do Coliseu, para o triénio 2020-2023.

A vereadora substituta da Câmara do Porto, pelo Partido Socialista, vai suceder a Paz Barroso enquanto representante da Área Metropolitana, faltando agora ao Estado, neste caso ao Ministério da Cultura, designar quem propõe para a direção e presidência.

“Não tendo tido qualquer resposta à comunicação que dirigi na passada sexta-feira (…) não tenho condições, por razões de dignidade e confiança, de continuar a assegurar essa representação e o cargo de Presidente da Direção, ao qual renuncio e do qual me demito”, informa Paz Barroso no email enviado na segunda-feira à AMP.

O representante da AMP na Direção da Associação dos Amigos do Coliseu acrescenta que a sua demissão, “produzirá efeitos no último dia próximo mês de abril”, sem prejuízo de solicitar que, “com a urgência que o caso reclama, diligenciem pela efetivação” da sua substituição “no mais curto lapso de tempo possível, já que existem compromissos e decisões da Associação que é necessário acautelar”.

A decisão, refere Paz Barroso, foi já comunicada aos demais membros da direção, ao presidente da Mesa da Assembleia Geral e ao presidente do Conselho Fiscal da Associação dos Amigos do Coliseu do Porto.

Questionada pela Lusa, a AMP explica que escolheu Maria João Castro como elemento da nova direção, a ser eleita na Assembleia Geral, “uma vez que a atual está em fim de mandato”.

A Área Metropolitana do Porto assinala que “não substituiu o Dr. Eduardo Paz Barroso, que completaria integralmente, em condições normais, o mandato para o qual foi eleito”.

Nos dois anteriores mandatos, liderados por Paz Barroso, que preside à instituição desde 2014, a decisão de o indicar como presidente coube, primeiro, à Câmara do Porto e, no segundo mandato, à Área Metropolitana.

Na sexta-feira, na última reunião da AMP, o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, revelou que vai propor que Nuno Lemos, que foi administrador da Porto Lazer e que ocupa atualmente um cargo de direção na empresa municipal Águas do Porto, seja reconduzido no cargo que já ocupava, como vogal da direção.

O independente anunciou ainda que vai levar o assunto a reunião do executivo de dia 09 de março, antes da Assembleia-Geral dos Amigos do Coliseu marcada para dia 13.

VSYM//LIL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS