Presidente da Venezuela promete “total apoio” aos afetados pelo mau tempo

Maduro prometeu “total apoio” às famílias de Las Tejerías, numa deslocação à zona, onde pelo menos 36 pessoas morreram e 60 estão desaparecidas, devido ao mau tempo registado no sábado.

Presidente da Venezuela promete

Presidente da Venezuela promete “total apoio” aos afetados pelo mau tempo

Maduro prometeu “total apoio” às famílias de Las Tejerías, numa deslocação à zona, onde pelo menos 36 pessoas morreram e 60 estão desaparecidas, devido ao mau tempo registado no sábado.

“Contem com o total apoio do Governo humanista e bolivariano a que presido. Apoio total às famílias, aos jovens, aos chefes de família, às mulheres chefes de família, às comunidades. Apoio total apoio aos comerciantes”, disse Nicolas Maduro, à televisão estatal venezuelana, na segunda-feira.

Maduro sublinhou ter visto “destroços, centenas de casas destruídas com perda total e centenas de casas e empresas com perda parcial”.

Tejerías, no estado de Arágua, a 70 quilómetros a sudoeste de Caracas, é “uma zona de catástrofe total, de desastre”, onde ocorreram fortes enxurradas, como não foram registadas “durante muitos anos na Venezuela”, disse.

O governante pediu a quem sofreu perdas materiais que se dirija aos centros de abrigo, “até que seja organizada a reconstrução das casas” e prometeu que “ninguém será abandonado, ninguém ficará sem casa”.

Por outro lado, Maduro lembrou a tragédia de 1999, no estado de Vargas, e precisou que o que aconteceu em Tejerías foi uma destruição da mesma grandeza, mas num território mais pequeno.

“A lama, o rio, as correntes [de água] atingiram até dez metros de altura. Aí estão as marcas da destruição nas casas (…) a gente deve saber que Tejerías vai ressurgir com a ave Fénix”, frisou.

Nicolás Maduro explicou que há registou de 800 casas afetadas, 400 das quais totalmente perdidas, desaparecidas e as restantes com danos parciais. Acrescentou que estão a ser preparados 200 apartamentos do programa estatal Grande Missão Habitação, em Arágua e no vizinho estado de Carabobo, para acolher afetados.

“Nas situações de chuva muito graves que tivemos, choveu três vezes mais do que em qualquer outro ano, e no dia do deslizamento de terra de grande magnitude, aqui em Tejerías, choveu em cinco ou seis horas o que chove num mês”, sublinhou.

O Presidente da Venezuela disse ter alertado “há 10 dias, numa transmissão (da televisão) pública, que estava muito preocupado com a forma como os solos estavam a ficar saturados com água”.

“As montanhas estavam a ficar saturadas, e mandámos verificar todas as montanhas perto das cidades”, disse Maduro.

No domingo, fontes consulares disseram à Lusa que dois portugueses, um homem e uma mulher, morreram em Las Tejerías, devido às chuvas torrenciais que afetaram o estado venezuelano de Arágua.

O cônsul honorário de Portugal em Los Teques, Pedro Gonçalves, especificou que dois comerciantes portugueses foram arrastados pelas torrentes de água e de lama.

Por outro lado, explicou que enquanto chovia “os criminosos aproveitaram que a água ia entrando nos imóveis, para roubar. O rio arrastou uma loja de venda de pneus de um português, e há informação de que várias lojas de portugueses foram afetadas, entre elas, um talho, uma padaria, lojas de ferragens e de perfumaria”, indicou.

O Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, apresentou condolências às famílias e aos amigos dos dois portugueses.

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, Paulo Cafôfo, parte hoje para a Venezuela para acompanhar a situação da comunidade portuguesa no país.

FPG (SMM/PC/EL)// EJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS