Praxe «humilhante» em Évora torna-se viral. BE quer que Governo interfira [vídeo]

Nas imagens o «caloiro» diz que não consegue aguentar mais. Contudo, a praxe continua. Veja o vídeo que está a gerar polémica

Um vídeo de uma praxe em Évora, que está a circular nas redes sociais desde esta terça-feira, dia 24 de setembro, está  tornar-se viral. Nas imagens é possível ver-se um jovem «caloiro» – um estudante no primeiro ano do ensino superior – a ser praxado por um grupo, aparentemente, estudantes também, mas mais velhos.

LEIA MAIS: Fotografia de caloiros em roupa interior na Faculdade de Arquitetura de Lisboa causa polémica

O «caloiro», que identificado como um aluno recém-entrado na Universidade de Évora, foi obrigado a ajoelhar-se sobre as próprias mãos e a colocar a cabeça no chão sobre um monte de pó branco, que parece ser farinha. Quando o jovem praxado refere que não aguenta mais, um outro rapaz, que parece estar a controlar a situação, diz para este se desenvencilhar-se.

«Não me interessa, bicho desenmerde-se», pode ouvir-se no vídeo partilhado no Facebook, que já conta mais de 180 mil visualizações.

O Bloco de Esquerda já se manifestou sobre o caso, exigindo que o Governo se pronuncie sobre esta praxe «de profunda violência e humilhação» e «absolutamente inaceitável». Os bloquistas ainda salientam que estes comportamentos entre estudantes continuam a ser «impunemente tolerados e praticados», apesar de todos os esforços e campanhas contra a praxe violenta que tem sido realizados em Portugal.

O BE também enviou um requerimento à Universidade de Évora. De acordo com o Público, a reitoria da instituição só teve conhecimento das polémicas imagens ontem e já anunciou que o caso será investigado internamente.

Clique play e veja o vídeo.

VEJA AINDA: Sobrinha de Cristiano Ronaldo mostra como são as praxes na faculdade

 

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Praxe «humilhante» em Évora torna-se viral. BE quer que Governo interfira [vídeo]

Nas imagens o «caloiro» diz que não consegue aguentar mais. Contudo, a praxe continua. Veja o vídeo que está a gerar polémica