Portugal tem que investir na educação, área em que continua na cauda da Europa

Portugal tem que investir na educação, área em que continua na cauda da Europa

Portugal tem de investir na educação, área em que permanece estatisticamente na cauda da UE, considera a diretora da Pordata, Maria João Valente Rosa, a propósito do “Retrato de Portugal”, hoje apresentado, em Bruxelas.

Pela negativa, Portugal destaca-se dos outros Estados-membros nas áreas da educação e conhecimento, mostrando as estatísticas que, por exemplo, mais de metade dos empregadores (54,6%) não frequentou o ensino secundário ou superior (UE 16,6%).

Os dados mostram ainda que quase metade (43,3%) dos trabalhadores por conta de outrem também não tem escolaridade para além do 9.º ano (UE 16,7%).

Nestes dois campos, não só Portugal está muito acima da média da UE como ocupa o lugar cimeiro entre os 28 Estados-membros.

Nos extremos opostos estão, respetivamente a Polónia, onde só 1% dos empregadores não frequentaram o ensino secundário ou superior, e a Lituânia com 3,5% de trabalhadores sem estes níveis de escolaridade.

“A educação é uma área em que temos evoluído, mas ainda não estamos lá. Há ainda muito caminho a fazer”, disse a responsável da Pordata à Lusa.

Pela positiva, Maria João Valente Rosa escolhe o indicador da mortalidade infantil: em 1961, Portugal tinha a taxa mais elevada (89 por mil) e em 2017 apresentava 3,2 mortes de crianças com menos de um ano por cada mil nascimentos, uma média abaixo da da UE (3,6 por mil).

O nível de mortalidade infantil, salienta a responsável da Pordata, é um indicador do desenvolvimento e das condições de vida, revelando não só os avanços médicos, mas também sociais.

O livro da Pordata é uma compilação de dados estatísticos do Eurostat é “uma visão panorâmica e simples da realidade portuguesa em relação aos outros países da Europa”, adiantou.

“Os factos são o melhor espelho da sociedade em que vivemos”, salientou Maria João Valente Rosa.

A sexta edição do “Retrato de Portugal na Europa”, é apresentada hoje em Bruxelas, no mesmo dia em que a Fundação Francisco Manuel dos Santos – que a Pordata integra – recebe, no Parlamento Europeu, o prémio de Cidadão Europeu.

IG // PMC

By Impala News / Lusa

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Portugal tem que investir na educação, área em que continua na cauda da Europa

Portugal tem de investir na educação, área em que permanece estatisticamente na cauda da UE, considera a diretora da Pordata, Maria João Valente Rosa, a propósito do “Retrato de Portugal”, hoje apresentado, em Bruxelas.