Portugal e São Tomé cooperam para recuperar Centro de Saúde Militar na capital são-tomense

Portugal apoiou com 31.600 euros a reabilitação do Centro de Saúde Militar das Forças Armadas de São Tomé e Príncipe, cuja obra foi hoje inaugurada na capital são-tomense, no âmbito da cooperação entre as forças armadas dos dois países.

Portugal e São Tomé cooperam para recuperar Centro de Saúde Militar na capital são-tomense

Portugal e São Tomé cooperam para recuperar Centro de Saúde Militar na capital são-tomense

Portugal apoiou com 31.600 euros a reabilitação do Centro de Saúde Militar das Forças Armadas de São Tomé e Príncipe, cuja obra foi hoje inaugurada na capital são-tomense, no âmbito da cooperação entre as forças armadas dos dois países.

A intervenção no Centro de Saúde Militar resulta de uma “cooperação fértil” entre as Forças Armadas Portuguesas e as Forças Armadas de São Tomé e Príncipe, destacou, na cerimónia, o ministro da Defesa Nacional português, João Gomes Cravinho.

“Quero sublinhar a importância que atribuímos quer à cooperação entre as nossas forças armadas e a cooperação no domínio da Defesa em geral, quer à cooperação no domínio da saúde militar”, disse o governante português.

A reabilitação foi realizada pela companhia de engenharia militar de São Tomé e Príncipe.

O ministro salientou que o Estado português também prestou formação em suporte básico à vida, “um curso para formadores, com um efeito multiplicador, e essa é a lógica predominante na cooperação portuguesa no domínio da Defesa”.

Também foi doado material hospitalar e medicamentos.

A cooperação, continuou, prossegue uma “lógica de solidariedade em relação a um país-irmão e de capacitação de apoio para que São Tomé e Príncipe e as Forças Armadas são-tomenses tenham cada vez melhores condições de corresponder à sua missão”, sublinhou Gomes Cravinho.

Na cerimónia, o primeiro-ministro são-tomense, que assume interinamente a pasta da Defesa e Ordem Interna, na sequência da exoneração, há um mês, de Óscar Sousa, destacou a importância do centro de saúde e desta intervenção.

“Mostra precisamente a excelência das relações de cooperação entre os dois países e povos, mais especificamente na área militar”, comentou.

O chefe do Governo são-tomense avisou que “não basta construir, é preciso continuarmos a manter”.

“O pessoal militar aqui do centro a partir de hoje tem muito melhores condições de trabalho, o que permite enfrentar esta luta com melhores instrumentos, melhores ferramentas”, sublinhou.

Este centro de saúde, além de dimensão militar, tem servido a população em geral, já que é naquele espaço que se realizam os testes PCR à covid-19.

Sobre a cooperação com Portugal na área da Defesa, apontou a Guarda Costeira como prioridade: “É preciso sermos cada vez mais realistas e defendermos as nossas águas arquipelágicas, é melhor prevenir do que adotar a perspetiva curativa”.

São Tomé e Príncipe, com um território marítimo 160 vezes superior ao território terrestre, localiza-se no Golfo da Guiné, afetado pela pirataria marítima. Desde janeiro de 2018, Portugal tem destacado neste país o navio “Zaire”.

 

JH // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS