Populações de sete concelhos de Évora com água assegurada nos próximos meses

As populações dos sete concelhos do distrito de Évora servidos pelo sistema de abastecimento da Águas do Vale do Tejo (AdVT) têm assegurada água nas torneiras durante os próximos meses, afirmou hoje a empresa.

Populações de sete concelhos de Évora com água assegurada nos próximos meses

Populações de sete concelhos de Évora com água assegurada nos próximos meses

As populações dos sete concelhos do distrito de Évora servidos pelo sistema de abastecimento da Águas do Vale do Tejo (AdVT) têm assegurada água nas torneiras durante os próximos meses, afirmou hoje a empresa.

Em resposta a questões colocadas pela agência Lusa através de correio eletrónico, a AdVT indicou que as albufeiras de Monte Novo e Vigia “dispõem de reserva para responder às necessidades de abastecimento de água às populações durante os próximos meses”.

Sem apontar uma data precisa, a empresa do Grupo Águas de Portugal (AdP) notou que a reserva de água destas albufeiras é suficiente “desde que garantidos os volumes concessionados para abastecimento público”.

“De qualquer forma, estão disponíveis, em ambos os casos e em pleno funcionamento, alternativas de abastecimento de água a partir do Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva (EFMA)”, sublinhou a AdVT.

Quanto aos sistemas com origens subterrâneas, adiantou, com o “atual conhecimento” que existe sobre os níveis freáticos, “afigura-se que não existirão problemas de abastecimento no presente ano hidrológico”, que termina no final de setembro.

Segundo a empresa, até agora, “não houve ainda necessidade de abastecimento de forma continuada através de autotanques”, pelo que as localidades “têm estado a ser normalmente abastecidas a partir do sistema de abastecimento em alta”.

A área da concessão da AdVT na região Centro Alentejo, que corresponde ao distrito de Évora, envolve os concelhos de Évora, Reguengos de Monsaraz, Mourão, Portel, Redondo, Alandroal e Borba.

Mais de um quarto do território do continente estava no final de junho em seca extrema (28,4%), verificando-se um aumento em particular na região Sul e em alguns locais do interior das regiões Norte e Centro, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O restante território estava em seca severa (67,9%) e seca moderada (3,7%).

No último dia do mês de maio, 97,1% do território estava em seca severa, 1,5% em seca moderada e 1,4% em seca extrema.

No final de junho, os valores de percentagem de água no solo continuavam muito baixos em todo o território e em especial no interior do Norte e Centro, no Vale do Tejo, no Alentejo e no Algarve.

SM (DD) //

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS