PIB de França contrai-se 5,8% no primeiro trimestre devido à pandemia

O PIB de França contraiu-se 5,8% no primeiro trimestre, o maior recuo desde a criação da série histórica em 1949, devido à paralisação provocada pelas medidas de contenção da covid-19.

PIB de França contrai-se 5,8% no primeiro trimestre devido à pandemia

PIB de França contrai-se 5,8% no primeiro trimestre devido à pandemia

O PIB de França contraiu-se 5,8% no primeiro trimestre, o maior recuo desde a criação da série histórica em 1949, devido à paralisação provocada pelas medidas de contenção da covid-19.

Paris, 30 abr 2020 (Lusa) – O Produto Interno Bruto (PIB) de França contraiu-se 5,8% no primeiro trimestre, o maior recuo desde a criação da série histórica em 1949, devido à paralisação provocada pelas medidas de contenção da covid-19 desde meados de março.

O Instituto Nacional de Estatística francês (INSEE), que divulgou hoje a primeira estimativa para os primeiros três meses do ano, sublinha em comunicado que este recuo está bem acima do de 1,6% no primeiro trimestre de 2009 resultante da crise financeira e do de 5,3% no segundo trimestre de 1968, quando ocorreu a famosa revolta estudantil e operária daquele ano.

Na contração do primeiro trimestre de 2020, pesou principalmente o recuo de 6,6% da procura doméstica, resultante de uma queda de 6,1% do consumo privado e de 11,8% do investimento.

No lado da produção, a queda foi de 5,5%, com uma evolução particularmente forte na construção (-12,6%) e com um recuo também muito significativo na indústria transformadora (-5,8%) e no setor dos serviços (-5,7%).

As exportações francesas caíram 6,5% nos primeiros três meses, enquanto as importações recuaram a um ritmo um pouco mais lento, de 5,9%.

Em conjunto, o comércio externo subtraiu duas décimas do PIB trimestral, quando no último trimestre de 2019 tinha subtraído uma décima.

Devido à situação específica gerada pela crise da covid-19 e, em especial, pelas medidas obrigatórias de confinamento em França desde 17 de março, as mudanças nos ‘stocks’ tiveram um impacto positivo de nove décimas do PIB.

O Governo francês, que teve que rever as previsões em várias ocasiões à medida que a crise avançou, prevê agora que a atividade na França cairá 8% em 2020.

MC // EA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS