Perto de mil pessoas manifestam-se em Lisboa por maior justiça climática

Cerca de mil pessoas manifestaram-se em Lisboa em defesa de uma maior justiça climática e exigindo mais ação aos líderes mundiais para se definirem medidas para travar o aquecimento global.

Perto de mil pessoas manifestam-se em Lisboa por maior justiça climática

Perto de mil pessoas manifestam-se em Lisboa por maior justiça climática

Cerca de mil pessoas manifestaram-se em Lisboa em defesa de uma maior justiça climática e exigindo mais ação aos líderes mundiais para se definirem medidas para travar o aquecimento global.

Lisboa, 07 nov 2021 (Lusa) — Cerca de mil pessoas manifestaram-se hoje em Lisboa numa marcha em defesa de uma maior justiça climática e exigindo mais ação aos líderes políticos mundiais para se definirem medidas concretas para travar o aquecimento global.

Num percurso que começou na praça Martim Moniz e subiu pela avenida Almirante Reis até à Alameda, largas centenas de manifestantes entoaram cânticos de protesto e empunharam dezenas de cartazes e tarjas. Entre estas, algumas alertavam que “Não há planeta B!” e para a “Precariedade planetária”, exigindo aos governos “Energias renováveis para todos” e que “Não fritem o planeta!”

A concentração, que contou também com as presenças da porta-voz do PAN, Inês Sousa Real, e da coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, foi sempre controlada de muito perto por vários agentes da PSP, que se colocaram tanto à frente dos manifestantes, como no final do cortejo, que condicionou parcialmente durante a tarde de hoje a circulação rodoviária nesta artéria da capital.

Convocada pela plataforma Salvar o Clima, a manifestação reuniu várias organizações portuguesas que apelam a cortes drásticos nas emissões de gases com efeito de estufa, a uma transição justa e à justiça climática global, numa iniciativa à escala global para criar pressão sobre a 26.ª Conferência das Nações Unidas (ONU) sobre alterações climáticas (COP26).

Mais de 120 líderes políticos e milhares de especialistas, ativistas e decisores públicos estão reunidos até 12 de novembro em Glasgow, na Escócia, para atualizar os contributos dos países para a redução das emissões de gases com efeito de estufa até 2030.

JYGO // HB

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS