Pelo menos 22 mortos em inundações no sul do Irão

Pelo menos 22 pessoas morreram e uma outra está desaparecida na sequência das inundações no sul do Irão, resultantes de fortes chuvas ocorridas naquele país amplamente árido, noticiaram hoje os media locais.

Pelo menos 22 mortos em inundações no sul do Irão

Pelo menos 22 mortos em inundações no sul do Irão

Pelo menos 22 pessoas morreram e uma outra está desaparecida na sequência das inundações no sul do Irão, resultantes de fortes chuvas ocorridas naquele país amplamente árido, noticiaram hoje os media locais.

“O número de mortos subiu para 22 após a descoberta de outro corpo” que estava por localizar no seguimento das enchentes que afetaram várias cidades da região de Estahban e arredores, indicou o chefe da organização de socorro local, Javad Moradian.

“Muitos moradores e visitantes tinham ido para a beira do rio quando ficaram presos pela subida das águas” na passada sexta-feira, disse Yousef Kargar, governador da cidade de Estahban, citado pela agência noticiosa Irna.

Vídeos exibidos em orgãos de comunicação social iranianos mostram viaturas caindo no rio Roodbal e sendo levados pela corrente de água.

O Irão sofreu repetidas secas na última década, mas também inundações regulares devido a chuvas torrenciais, fenómeno que é agravado pela aridez do solo.

No sábado, o primeiro vice-presidente, Mohammad Mokhber, exortou o governador da província de Fars a investigar o caso por forma a esclarecer a tragédia e compensar as vítimas, refera a agência Irna.

O ministro do Interior iraniano, Ahmad Vahidi, viajou para a região para “supervisionar as operações de resgate e confortar as famílias das vítimas”, de acordo com a mesma fonte.

O instituto meterológico da província alertou, entratanto, para a possibilidade de “chuvas mais intensas no final desta semana”.

Em janeiro passado, oito pessoas morreram na região de Fars, também devido a inundações., enquanto no vizinho Iraque 12 pessoas morreram após chuvas torrenciais verificadas em dezembro de 2021.

Em 2019, fortes chuvas no sul do Irão mataram pelo menos 76 pessoas e causaram avultados prejuízos materiais.

Segundo especialistas, as mudanças climáticas estão a amplificar os episódios de seca, ameaçando a segurança alimentar, tendo a questão climática tornado-se motivo de protesto para muitos iranianos que sofrem com os caprichos do clima.

Nos últimos meses, milhares de pessoas manifestaram-se contra a seca dos rios, principalmente no centro e no sudoeste do Irão.

Em meados de julho, manifestantes foram detidos depois de protestarem contra a seca de um dos maiores lagos salgados do mundo, o Lago Urmia, no noroeste do Irão, refere a Irna.

A seca deste lago, iniciada na década de 1990, é considerada um desastre ecológico para esta região noroeste do Irão.

As tempestades de areia também aumentaram nos últimos tempos, à semelhança de todo o Médio Oriente, obrigando os habitantes e as repartições púbicas a fecharem as suas portas em muitas áreas do país, tentando evitar problemas respiratórios.

No total, tempestades de areia e poeira afetam mais de 150 países e regiões, com impactos que incluem meio ambiente, saúde e economia, de acordo com dados da Organização Meteorológica Mundial (OMM).

FC // HB

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS