PCP pede audição da ARS sobre fecho rotativo de urgências de obstetrícia de Lisboa

O grupo parlamentar do PCP enviou hoje um requerimento para a audição do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo sobre o fecho rotativo das urgências de obstetrícia da capital.

PCP pede audição da ARS sobre fecho rotativo de urgências de obstetrícia de Lisboa

PCP pede audição da ARS sobre fecho rotativo de urgências de obstetrícia de Lisboa

O grupo parlamentar do PCP enviou hoje um requerimento para a audição do Conselho Diretivo da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo sobre o fecho rotativo das urgências de obstetrícia da capital.

“Hoje, dia 20 de junho, é noticiado que quatro maternidades de Lisboa – Alfredo da Costa, São Francisco Xavier, Santa Maria e Amadora Sintra – vão encerrar os serviços de urgência durante o período de verão. Sendo também dito que existe uma proposta da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo para que funcionem de forma rotativa”, afirma o PCP, no requerimento endereçado à Comissão Parlamentar de Saúde, fazendo referência à notícia avançada hoje pelo jornal Público.

No documento enviado à agência Lusa, o grupo parlamentar comunista salienta que a principal causa apontada para o encerramento dos serviços é a falta de médicos especialistas em ginecologia e obstetrícia e anestesistas.

“As carências destes profissionais, apesar de há muito identificadas e do conhecimento do Governo, não foram debeladas pese embora a existência de instrumentos, designadamente, no Orçamento do Estado, como a contratação de profissionais ou a substituição do recurso a prestação de serviços por contratos de trabalho permanente” que permitiriam resolver o problema, sustenta o PCP.

Para o grupo parlamentar, esta proposta de fecho rotativo por parte da ARSLVT não serve as grávidas e concorre “para o enfraquecimento da resposta pública”.

Nesse sentido, o PCP pede a presença do Conselho Diretivo da ARSLVT “com caráter de urgência”, propondo que a audição seja agendada para a próxima reunião da Comissão Parlamentar de Saúde, na quarta-feira.

O jornal Público noticia hoje que as urgências de obstetrícia de quatro dos maiores hospitais de Lisboa vão estar fechadas durante o verão, fechando rotativamente uma de cada vez, devido à falta de especialistas.

De acordo com o Público, “a partir da última semana de julho e até ao final de setembro” as urgências de obstetrícia da Maternidade Alfredo da Costa, Hospital de Santa Maria, São Francisco de Xavier e Amadora-Sintra vão estar “fechadas num esquema de rotatividade”.

JGA // JLG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS