PCP defende necessidade de medidas de proteção e prevenção da saúde pública

O PCP considerou que é preciso “garantir as medidas de proteção e prevenção da saúde pública”, e defendeu o regresso do público aos eventos desportivos.

PCP defende necessidade de medidas de proteção e prevenção da saúde pública

PCP defende necessidade de medidas de proteção e prevenção da saúde pública

O PCP considerou que é preciso “garantir as medidas de proteção e prevenção da saúde pública”, e defendeu o regresso do público aos eventos desportivos.

Lisboa, 30 mai 2021 (Lusa) – O PCP considerou hoje, a propósito dos episódios com adeptos ingleses no Porto, que é preciso “garantir as medidas de proteção e prevenção da saúde pública”, e defendeu o regresso do público aos eventos desportivos.

“Face a desenvolvimentos recentes associados à final da Liga dos Campeões Europeus, o PCP reafirma que na atual situação da epidemia impõe-se garantir as medidas de proteção e prevenção da saúde pública, incluindo a vacinação, testagem e rastreio, ao mesmo tempo que deve ser prosseguida a retoma das atividades”, assinalou o partido.

Num comunicado enviado às redações, os comunistas consideram que “essa é uma necessidade económica, social, cultural e também de saúde pública”.

“No plano da atividade desportiva é também urgente, como o PCP tem defendido e insistido, a definição e concretização de medidas indispensáveis de proteção sanitária, que garantam a retoma da prática desportiva do conjunto das modalidades, bem como do acesso do público à fruição dessas atividades”, refere também o PCP.

A final da Liga dos Campeões, entre Manchester City e Chelsea, decorreu no Porto, no sábado, num jogo com a presença de adeptos ingleses, que durante os últimos dias estiveram aglomerados no centro da cidade, a maioria sem cumprir as regras ditadas pela pandemia de covid-19, como o uso de máscara e o distanciamento físico.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.535.376 mortos no mundo, resultantes de mais de 169,8 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17.023 pessoas dos 848.658 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

FM // PNG

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS