PAN diz que nunca viabilizará aeroporto do Montijo nas atuais condições

O porta-voz do PAN diz que o partido nunca viabilizará a construção do aeroporto do Montijo nas atuais condições e pediu ao PSD e CDS-PP para esclarecerem a sua posição sobre o assunto.

PAN diz que nunca viabilizará aeroporto do Montijo nas atuais condições

PAN diz que nunca viabilizará aeroporto do Montijo nas atuais condições

O porta-voz do PAN diz que o partido nunca viabilizará a construção do aeroporto do Montijo nas atuais condições e pediu ao PSD e CDS-PP para esclarecerem a sua posição sobre o assunto.

Vila Nova de Gaia, Porto, 30 set 2019 (Lusa) – O porta-voz do PAN (Pessoas-Animais-Natureza) afirmou hoje que o partido nunca viabilizará a construção do aeroporto do Montijo nas atuais condições e pediu ao PSD e CDS-PP para esclarecerem a sua posição sobre o assunto.

“A construção do aeroporto do Montijo coloca em causa o ‘habitat’ natural do estuário do Tejo, coloca em causa cerca de três milhões de aves que lá habitam ou que lá passam, não sabemos o impacto rodoviário nas duas pontes sobre o Tejo e sobre as reais consequências sobre a própria população do Montijo”, esclareceu André Silva.

Numa ação de rua em Vila Nova de Gaia, distrito do Porto, o deputado e porta-voz do PAN foi confrontado por um homem que dizia que o partido falava muito dos animais, mas pouco do ambiente, pedindo-lhe a sua posição sobre a construção do aeroporto do Montijo.

Para André Silva, o estudo de impacto ambiental tem “deficiências graves”, o projeto está mal estudado e os “impactos ambientais não estão completamente acautelados”, sendo, por isso “completamente contra” o atual projeto e o partido nunca viabilizará “a construção de um aeroporto como aquele”.

O homem insistiu e quis saber se “aeroporto do Montijo ‘jamais’?”

“Se depende do PAN, Montijo ‘jamais'”, respondeu André Silva, considerando que é necessário também alterar o paradigma no que toca às avaliações de impacto ambiental, que não deveriam ter qualquer consideração de ordem económica.

O porta-voz do PAN referiu que o partido “não vai ser muleta, nem pin, nem flor na lapela, nem apontamento de nenhum partido”, nomeadamente do PS, desafiando ainda PSD e CDS-PP para esclarecerem a sua posição sobre o aeroporto do Montijo.

“Veja-se o CDS, que nos últimos meses, no seu papel de oposição, falava na necessidade de se fazer uma avaliação ambiental estratégica e, de repente, no último mês, deixou cair essa exigência e nunca mais ouvimos o CDS falar sobre esta questão, assim como o PSD”, frisou.

André Silva vincou que “seria importante que os principais partidos que se dizem da oposição, CDS e PSD, digam se são, ou não, a favor de uma avaliação ambiental estratégica e se aprovam, ou não, a construção do aeroporto do Montijo sem essa avaliação ambiental”.

Se aos jornalistas foi claro quanto à sua postura em relação ao PS, já depois, confrontado por uma mulher, nas ruas de Vila Nova de Gaia, André Silva disse que o PAN está “cá para fazer frente à ‘geringonça'”.

Antes, a maioria das interações com quem estava na rua foram em torno das causas associadas ao bem-estar dos animais.

Houve quem se queixasse de que a alimentação para gatos era muito cara, quem elogiasse o facto de lutar pelos animais – “Somos o único partido que gosta dos animais e protege os animais”, respondeu -, ou quem criticasse o preço da operação do cão, que tinha custado 95 euros.

O porta-voz do PAN recordou que o partido quer baixar os impostos nessas áreas, mas um homem que se queixou do preço dos serviços veterinários notou que o problema não era o custo da operação: “Nós é que ganhamos pouco”, disse.

JGA // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS